Um novo tipo de teste apresentado durante o World Câncer Congress pode ajudar a prevenir a doença de forma mais eficaz que as metodologias atuais.

De propriedade da Panacea Global Inc. do Canadá, o novo teste poderá detectar até quatro tipos de câncer: pulmão, próstata, mama e cólon. Sendo que esse exame poderá ser utilizado pelos médicos, tanto na detecção de ocorrências, quanto no controle de reincidência de câncer nos pacientes.

Isso porque o sistema baseia-se no mapeamento da presença do aspartil beta-hidroxylase (HAAH) humano, substância que funciona como biomarcador, pois está presente em células cancerígenas.  O teste pode ser feito via exame de sangue e o nível de HAAH medido através de ensaio ELISA.

Por enquanto, o sistema está em fase de ensaios clínicos para confirmar sua eficácia e será implementado primeiramente no Canadá.

Porém, a partir do momento em que o teste for exportado para outros países poderá beneficiar milhares de pacientes, como no Brasil, em que o câncer de cólon de útero, juntamente com o câncer de mama, são os principais responsáveis pela alta taxa de mortalidade entre mulheres acima dos 40 anos de idade.

Fonte: Portal  Market Wire.

Rosielli Sá


Já pensou em participar de uma pesquisa como voluntário e contribuir com o mundo científico? A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) está em busca de voluntários para pesquisas.

O Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício (Cepe) da Unifesp está aceitando 30 voluntários, de 30 a 55 anos de idade e que sofram de insônia para realizar um estudo sobre como a prática de atividade física influencia no padrão do sono. Não poderão ser voluntários pessoas que apresentem doenças crônicas ou problemas ortopédicos que impeçam a prática de exercícios físicos. A pesquisa irá durar 4 meses.

Quem tiver interesse pode entrar em contato através do telefone (11) 5572-0177 ou e-mail insonia.exercicio@gmail.com. O Departamento de Psicobiologia da Unifesp também está recrutando voluntários que tenham mais de 60 anos de idade para estudar o relacionamento entre os hormônios do estresse e o declínio da memória. Mais informações pelo número (11) 3061-7544.

Por Andrea Gomes


Mais um milagre da ciência tornou possível que um paciente americano, de nome Mark Gregoire, tivesse o seu tumor maligno no pâncreas “curado”. A pesquisa envolveu pesquisadores espanhóis, do Centro Nacional de Pesquisas Oncológicas, em Madrid, e americanos da Universidade John Hopkins (EUA).

Os pesquisadores transplantaram em camundongos o tumor de Gregoire. Os médicos estudiosos justificaram que fizeram isso para realizar experimentos a fim de identificar a reação do tumor aos diversos remédios, sem expor o próprio paciente aos possíveis efeitos colaterais que poderiam ser provocados com o uso de tais medicamentos.

Em 2006, Gregoire foi advertido que teria poucas semanas de vida, e hoje ele aos 65 anos não demonstra sinais do tumor, porém os médicos aconselham que ainda é precoce para se afirmar a completa cura de Gregoire.   

Por Andrea Gomes

Fonte: BBC Brasil


Duas empresas norte-americanas já receberam autorização da FDA (agência reguladora de medicamentos e alimentos) para fazerem testes de células-tronco embrionárias em humanos. Uma das empresas, a Advanced Cell Technology, declarou que irá testar o procedimento em 12 pacientes voluntários.

A segunda empresa – que não quis divulgar o nome – vai testar o tratamento em pacientes com distrofia macular de Stargardt, uma forma de cegueira. No mês passado, a Geron Corp. (clínica que realiza testes de células-tronco), recebeu o primeiro voluntário para a realização dos testes.

Os Estados Unidos, no ano passado, aboliu as restrições do uso de verbas federais para esse tipo de pesquisa. Mas, agora, o assunto é objeto de disputa judicial.

Fonte: Último Segundo

Por Luana Costa





CONTINUE NAVEGANDO: