Confira aqui tudo o que você precisa saber soobre o Autismo.

Muito tem se falado sobre o autismo nos últimos tempos. E na mesma proporção, muitas dúvidas têm surgido sobre o assunto. Se você faz parte desse grupo, precisa saber inicialmente que abril é considerado o mês “azul”, cor essa escolhida para simbolicamente dar maior visibilidade ao tema.

O autismo é considerado um transtorno que possui diferentes níveis e tipos e que engloba, conforme dados das Nações Unidas, um número superior a 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

A cada ano, o 2 de abril chega como a dia escolhido para que a população volte com ainda mais força as suas atenções para o assunto. Por isso, foi criado nessa data o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, de maneira que as pessoas se informem mais sobre o tema.

O que é Autismo?

Mas afinal, o que é autismo? Se essa é uma pergunta para a qual você não tem resposta, nós iremos ajudar nesse sentido. Porém, primeiramente, é importante fazer saber que o diagnóstico para esse distúrbio, chamado cientificamente como Transtorno do Espectro Autista, o TEA, já costuma ocorrer durante a infância e nas primeiras manifestações de desenvolvimento da criança. De acordo com os dados divulgados pelo Centro de Controle e de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, o CDC, pelo menos uma criança a cada 59 possui algum tipo de TEA. Todavia, apesar de toda a informação existente sobre o assunto, ainda é muito comum que surjam alguns preconceitos e estigmas por parte da comunidade e, inclusive, dos próprios pais.

O TEA é caracterizado pela condição em que o ser humano possui uma dificuldade em interagir com o meio social e de se comunicar. Como já foi falado anteriormente, não existe um único tipo de autismo, mas sim várias nuances. Por isso, é possível perceber que cada indivíduo apresenta os seus próprios desafios nesse sentido.

O que causa o autismo?

Não há a possibilidade de identificar uma única causa para o autismo. Esse pode ser ocasionado, por esse motivo, por diversos fatores isolados ou combinados.Porém, é correto especular que esse venha da influência genética ou pela própria interação de genes com o ambiente, como é o caso das infecções que ocorrem durante o pré-natal.

Entre alguns fatores de risco para o desenvolvimento do autismo estão: uso de alguns remédios durante a gravidez, ter parentes que tenham o transtorno, baixo peso no nascimento, pais mais velhos e condições genéticas como a Síndrome do X Frágil. Algumas pessoas também relacionam a vacinação com o desenvolvimento do transtorno. Porém, não há qualquer abordagem científica que comprove tal fato, sendo essa razão descartada.

Quem é mais afetado?

Para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, os mais afetados pelo autismo são os meninos. Assim, um dado levantado pela pesquisa trouxe à tona um dado muito importante de que o espectro do autismo chega a quatro meninos para cada menina. Porém, apesar da informação ser fundamental, é importante destacar que o transtorno não escolhe especificamente um gênero e, muito menos, classe social e etnia. Por isso, é importante o acompanhamento necessário de um profissional assim que levantadas as suspeitas.

Sintomas do Autismo

Como principais sintomas do autismo pode-se destacar as alterações na linguagem, fala, comportamento e socialização. Assim, o autista possui maior dificuldade em se comunicar com outras pessoas e de falar de seus próprios sentimentos ou entender os do próximo, levando ao seu isolamento.

Ainda, são sintomas: os padrões repetitivos e restritivos de comportamento; dificuldades relacionadas à adaptação a uma mudança na rotina; falta de interesse em outras pessoas; dificuldade de fazer contato visual ou de atender ao seu chamado; e as reações incomuns a percepções sensoriais ou a cheiros.

Por fim, é importante destacar que alguns indivíduos com TEA focam bastante a sua atenção em detalhes que passam despercebidos para a maioria das pessoas. Com isso, é nítido afirmar que esses se desenvolvem extremamente bem nas áreas que lhe são de maior interesse.

Qual o tratamento para o autismo?

Não há um único tratamento para o autismo, sendo cada caso considerado isoladamente e variando de indivíduo para indivíduo, dependendo sempre do transtorno que é apresentado. De uma maneira geral, cada paciente passa por um acompanhamento profissional de um fonoaudiólogo, psicólogo e terapeuta ocupacional. Não há um remédio para a “cura” do autismo. Porém, é possível que sejam prescritos alguns medicamentos que ajudem a amenizar alguns sintomas do transtorno, como é o caso da inquietação e da insônia. Por isso, há necessidade de um diagnóstico precoce sobre o assunto. De tal forma, é possível que toda a família faça parte do processo de adaptação a esse novo cotidiano que, apesar das dificuldades, reforça os laços de amor e de união.

Kellen Kunz


Veja todas as informações sobre a acne e aprenda como cuidar desse problema.

A acne é uma condição causada na pele, que surge quando os folículos pilosos já estão obstruídos por células mortas e sebo, fazendo com que essa região fique tomada por bactérias que causam a inflamação. Esse problema pode ocorrer em pessoas adultas, adolescentes e idosos. Geralmente a acne aparece no rosto, ombros, costas e peito.

O que pode causar a acne?

A acne pode surgir por diferentes fatores, e é preciso observar com calma para chegar ao diagnóstico correto. Mas, muitas pessoas recorrem ao dermatologista, que é o especialista em tratar doenças da pele. Na maioria dos casos, a acne aparece por consumo excessivo de alimentos ruins. Um bom exemplo são os alimentos gordurosos, que se ingeridos em excesso, podem trazer consequências no corpo e também no rosto. Outra razão que facilita o aparecimento da acne é a grande taxa de hormônio no organismo e a última causa pode ser por fator genético.

Como perceber o início do problema da acne?

A acne não surge do dia para noite, a pele vai dar sinal que algo não está bem. A princípio aparecem os cravos, que já são sinal de alerta que sua pele não está respirando bem. E se esses cravos não forem tratados logo de início, eles vão evoluir para cravos abertos e depois eles viram a acne. Esse processo vai muito além da parte estética, pois pode se tornar um quadro infeccioso e ocasionar desconforto e dor.

Dicas de como tratar a pele com acne em casa

Algumas pessoas não sabem como tratar a acne em casa. E já vou adiantar que é uma coisa muito fácil e econômica de fazer. O segredo está em manter essa rotina com frequência e diária. Veja abaixo alguns dos cuidados que podem ser praticados diariamente:

– Lavar o rosto depois que acordar e antes de dormir com sabonete neutro

– Evitar o uso de produtos que podem ficar acumulados nos poros do rosto como: Creme e maquiagem

– Não esprema a acne do rosto

– Use loções especificas para o controle da oleosidade da pele

Em casos mais extremos de acne, como fazer?

Se você tiver passando por esse tipo de situação, o ideal é procurar a ajuda de um dermatologista. Só ele é capaz de conseguir identificar os fatores que estão levando sua pele a estar dessa forma. Em muitos casos eles fazem um controle do problema usando medicamentos como antibióticos como tetraciclina. Em muitos casos os tratamentos usam comprimidos e composições de uso externo, como pomadas. Mas, o ideal é que mesmo com esse tipo de tratamento, se tenha o controle da alimentação, e dessa forma ir diminuindo o aparecimento da acne, até que ela suma por completo. Muitas pessoas só conseguem ver o resultado final depois de meses, e mesmo assim, se fizer o tratamento de forma certa.

Veja alguns dos tipos de acnes que existem

A acne é uma condição comum que atinge diferentes tipos de pessoas. Mas ela pode ter muitos tipos diferentes, e essa informação é desconhecida pela maioria das pessoas. Veja abaixo os tipos de acnes que existem:

Acne Cística, que também é conhecida como acne conglobata, é a forma mais grave de acne. Geralmente aparece em homens jovens. Esse tipo de acne é mais complicado de tratar e pode deixar cicatriz.

Acne fulminante é uma forma mais grave do que a acne cística e geralmente aparece em adolescentes. Elas costumam se espalhar rapidamente na região do corpo e é mais difícil de controlar. Em alguns casos podem surgir sintomas como dor muscular e febre.

– Acne Infantil não é tão comum, mas existe. Normalmente aparece em bebês de 3 a 16 meses. Esse problema acontece por fator de estresse no parto e deve ser tratado diretamente com pediatria especializada.

Acne vulgar é o tipo mais comum de acne. Aparece mais em jovens e adultos e tem fácil tratamento.

A acne pode surgir em diferentes fases da vida. O importante é tratar logo do início!

Escrito por Cristiane Amaral


Confira aqui alguns sintomas que podem identificar o Transtorno Bipolar.

Na vida moderna, na vida contemporânea, em geral, as pessoas se sentem mais estressadas, devido à aceleração dos atos e da sobrecarga de compromissos, grande parte deles desnecessários.

Muitas são as reações emocionais e psíquicas diante desta rotina de correria. Os fatores para essas reações são muitos, portanto, quando alguém se sente um tanto eufórico, em dado momento, por receber um elogio, por exemplo, ou despertar numa manhã com grande entusiasmo e tornar-se, no momento seguinte, um baixo astral, sem ânimo, saiba que isso é perfeitamente normal.

A mente humana funciona deste modo, pois não paramos de pensar um único minuto. Podemos produzir uma bela arte e, ao final, nos sentir tristes, pois os estados da mente independem a nossa vontade. Deste modo, muitas pessoas receiam estar sofrendo do chamado transtorno 'bipolar'. Toda oscilação emocional é perfeitamente normal. Os sinais de tal tipo de doença, como o transtorno bipolar, são mais claros.

O problema da bipolaridade é definido pelo seguinte:

Este transtorno não é caracterizado pelas repentinas oscilações no humor, e sim por longos episódios de mudança de humor, que duram dias e até semanas. Sendo que episódios de depressão chegam a durar meses, conforme explicam especialistas em psiquiatria.

Portanto, o transtorno bipolar consiste em intensas alterações de humor, que podem se apresentar em variadas maneiras e intensidades. Em muitos casos, é até perigosa. Estas longas alterações bipolares vão desde estados depressivos até sintomas de humor exaltado. E estes estados podem ser de intensa euforia ou irritação, que chegam aos extremos.

Um dos fatores é o da Hipomania ou Mania, conforme a intensidade, e pode ter duração entre quatro a sete dias. São, portanto, transtornos crônicos, facilmente reconhecíveis, e não há necessidade de haver uma situação estressante para despertar essas crises.

Este tipo de problema psíquico atinge, conforme a mais recente estatística, cerca de 5% da população geral. Estes transtornos se caracterizam, sobretudo, pelas reações ditas Hipomanias, ao longo de uma vida, sendo alternadas entre períodos de depressão intensa. Todos os sintomas da Hipomania se apresentam equivalentes ao das manias, porém, é muito importante observar que as pessoas que sofrem de bipolaridade não apresentam quadros de delírios, ou demais sintomas típicos de psicose. Sendo de dois tipos, o transtorno bipolar atinge homens e mulheres, sendo, com frequência maior nas mulheres.

Assim, como as pessoas poderão se auto avaliar de modo a perceber se têm ou não este problema? Em geral, quem sofre deste problema começa a percebê-lo quando passa pelos transtornos e começar a procurar ajuda clínica.

Entre os sintomas mais marcantes e essenciais, para se diagnosticar previamente a bipolaridade, segue abaixo:

Constantes alterações no sono; tristeza profunda; muita apatia; constantes esquecimentos; constante sentimento de falta de sentido na vida; em casos mais extremos, certa ideação de suicídio.

No estado maníaco as pessoas sentem muita agitação interna, e se tornam mais ativas, porém, de forma bastante descontrolada. Este processo tem fases, e quando atinge certo estágio, em geral os pacientes começam a perder o senso crítico sobre seu próprio estado mental. Uma das melhores maneiras de realizar uma auto avaliação está no exercício de anamnese, ou seja, rastrear a sua história de vida pela memória.

Lembre-se, leitor, o transtorno bipolar é um tipo de problema que vai e volta constantemente, podendo até desaparecer espontaneamente por um longo tempo, até anos, entretanto, ele tende a voltar e muitas vezes retorna com intensidade maior.

Hoje, com a quantidade de alternativas clínicas e medicinais, este tipo de problema pode ser perfeitamente controlado. Todas as pessoas têm chance de tratar.

Paulo Henrique dos Santos


Confira aqui os sintomas e algumas dicas de tratamento para a Menopausa.

A menopausa tem início no final do ciclo reprodutivo da mulher. Quando a mulher tem sua última menstruação é o momento em que ela entra na tão conhecida menopausa. Durante essa postagem vamos trazer algumas informações que o ginecologista Rogério Felizi disponibilizou durante entrevista ao site R7.

O Dr.Rogério Felizi é ginecologista do Hospital de Curitiba Oswaldo Cruz e declara na entrevista que a menopausa é confundida com o climatério. O climatério é um grupo de sintomas que tem seu início ao fim do ciclo reprodutivo da mulher e costuma aparecer em torno dos 45 anos de idade.

Explica o doutor que é comum entre os sintomas do climatério que as mulheres sintam um calor excessivo, alteração no humor, depressão, irritação, redução de desejo por sexo e o ressecamento da mucosa que reveste a vagina. Ao longo do tempo, é normal que as mulheres tenham uma redução na produção de alguns hormônios e essa redução de hormônios pode aumentar as chances de desenvolver osteoporose e doenças cardiovasculares, isso acontece porque há alterações metabólicas.

As mulheres que chegam nessa idade não precisam se assustar ou criar casos por causa da mudança do corpo, é importante lembrar que você precisa cuidar da sua saúde e isso é cuidar da sua alimentação e fazer exercícios, com certeza quem tem essas práticas no seu cotidiano conseguem atrasar esses sintomas, ou até nem vive-los.

O próprio Dr. Felizi afirma que durante essa fase de mudança que a mulher está passando é importante o controle na alimentação e sugere que a mulher faça atividades físicas regulares e que tenha uma dieta balanceada. Seguindo uma rotina de atividades e alimentação balanceada os sintomas do climatério são controladas e reduzidas quase a zero. Além disto o médico sugere que a mulher tire momentos para si, como ir fazer uma massagem ou uma aula de Yoga.

Os sintomas da menopausa costumam atingir as mulheres por volta de dois a três anos e em casos extremos por até cinco anos. As sensações mais fortes da menopausa podem ser controladas com a ajuda de um médico ginecologista, o mesmo pode receitar remédios, vitaminas ou hormônios para controlar os sintomas.

Existem casos de menopausa precoce que pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue. O exame vai definir a produção dos hormônios sexuais da mulher. O doutor afirma durante a entrevista que ao aparecer a menopausa precoce é um alerta para as mulheres mudarem seus hábitos, pois a menopausa precoce é formada na maior parte das vezes pela obesidade, tabagismo ou sedentarismo, e poderia ser evitada com uma alimentação mais saudável e com atividades físicas regulares.

Infelizmente é normal que as mulheres sintam sim mais calor depois que entram na menopausa. Normalmente esse calor vem em ondas e não costuma acontecer o dia inteiro. Mas o calor da menopausa existe devido à desregulação das produções de hormônio, o estrogênio é produzido em menor quantidade. Cerca de 75% das mulheres sentem ondas de calor, as ondas de calor podem acabar causando insônia.

Um último ponto que o Dr. Rogério aponta é que após da mulher entrar na menopausa, a possiblidade engravidar diminui.

Dicas para acabar com o calor da menopausa.

Essa dica que vamos estar passando é uma receita caseira, várias mulheres têm usado essa dica e dizem que tem dado resultado e acaba realmente com as ondas de calor durante a menopausa. Fica a dica a seguir.

Você pode fazer chá com amoras, este chá ajuda a reduzir as ondas de calor durante a menopausa. Faça um chá com as folhas da árvore da amora.

Use a planta da Corama para fazer um chá, ajuda a aliviar os sintomas durante o dia.

As dicas são para aliviar as ondas de calor. Experimente um dia estes chás e depois comente aqui para nós se funcionou!

Mauricio Lazarini Bento Junior


Saiba aqui quais são os principais sinais da Intolerância à Lactose.

Você sabe se é intolerante à lactose? Os sinais muitas vezes passam despercebidos pela maior parte das pessoas que sofrem desse mal. Por isso, a seguir serão apresentados alguns sinais para que se desconfie do problema.

Para quem não sabe, a intolerância à lactose é responsável por causar alguns sintomas gastrointestinais, como flatulência e diarreia. Desse modo, os sintomas geralmente surgem a partir do momento que se consome leite ou seus derivados ou surgem horas depois.

Há um pensamento bastante popular de que as crianças são a maior parte dos números dessa doença. No entanto, em muitos casos, a intolerância surge na adolescência e até mesmo na vida adulta.

É também muito comum as pessoas confundirem a intolerância à lactose com alergia à proteína do leite de vaca, já que ambas possuem sintomas bastante parecidos. Contudo, as formas de tratamento são diferentes.

Já houve um avanço tecnológico em relação aos produtos alimentícios voltados a população que possui intolerância. Sabe-se que no mercado, já existem alguns produtos ''sem lactose'', que são muito indicados por nutricionistas para os consumidores acometidos pela intolerância ao leite e aos seus derivados. No entanto, para útilizá-los é preciso saber se há real necessidade desse alimento.

Fisiologicamente a intolerância à lactose é a falta de capacidade que o corpo humano apresenta de digerir o carboidrato, um tipo de açúcar, que pode ser encontrado no leite, além de outros produtos lácteos. Isso acontece devido a escassez da enzima lactase, especialmente responsável por quebrar a lactose. Dessa maneira, é por isso que a intolerância à lactose muitas vezes é conhecida como deficiência de lactase.

Indivíduos com intolerância à lactose têm como principais sintomas náuseas, que muitas vezes são acompanhadas por vômito; fezes amolecidas; flatulência; diarreia; inchaço; cólica; desconforto e dores abdominais.

De acordo com Fernanda Maluhy, nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, os sintomas da intolerância podem aparecer de forma variada, isto é, em questão de minutos após a ingestão ou após horas de ter ingerido leite in natura ou seus derivados como requeijão, leite condensado, creme de leite, manteiga e creme e queijos.

Segundo a presidente do Departamento de Nutrologia da SBP, a médica Virgínia Weffort, os sinais podem variar levando em conta os níveis de intolerância e também levando em conta a quantidade de alimentos que foram ingeridos.

Pode acontecer, por exemplo, de uma pessoa conseguir digerir bem um iogurte com uma fatia de queijo, mas não conseguir digerir um copo de leite. Isso porque, tanto o queijo quanto o iogurte são alimentos que passaram por um processamento, desse modo, pode cair a quantidade de lactose que vem no produto e dessa forma melhora a aceitação no organismo.

Até o momento, estudos indicam que alguns fatores contribuem para o surgimento da intolerância à lactose. Esses fatores tem haver com: idade, uma vez que ocorre uma diminuição progressiva da capacidade de produzir a enzima lactase; etnia, sendo mais comum de acometer indígenas, hispânicos, asiáticos e negros; nascimento de prematuros, pois esses bebês, por nascerem antes do tempo natural, possuem menos quantidade de lactase no organismo e não se pode deixar de citar as lesões intestinais.

Durante a infância, é comum que a intolerância à lactose apareça a partir dos 2 anos de idade. Mas é normalmente na adolescência que esse quadro se apresenta com uma maior frequência.

A intolerância à lactose ainda pode ser dividida em dois grupos: A Intolerância Permanente ou Primária, que é a mais comum e não possui cura e a Transitória ou Secundária, que pode ser consequência de outras doenças.

Ao menor sinal desses sintomas, é necessário que a pessoa procure um médico, que vai pedir exames para conseguir fazer um diagnóstico preciso: se for alergia ou intolerãncia e é também de extrema importância uma visita à nutricionista, para buscar orientação a respeito de quais produtos alimentícios são necessários para fazer uma recomposição da dieta.

Ana Paula Oliveira Coimbra


A tuberculose é uma doença de natureza infectocontagiosa causada por um microorganismo conhecido popularmente como ”bacilo de Koch”. Pode ser diagnosticada, num primeiro momento, quando o indivíduo apresenta sintomas como tosse seca ou carregada, febre (com aparecimento de sudorese noturna), indisposição e rápido emagrecimento, sintomas estes que devem ser observados com atenção.

Seu contágio ocorre por vias aéreas, ou seja, quando um indivíduo infectado fala, tosse ou espirra, libera diversas gotículas no ar que podem conter o bacilo. O indivíduo saudável, quando inala essas gotículas, pode se infectar. Porém, uma pessoa infectada pelo bacilo não necessariamente saberá de sua existência, uma vez que a doença só irá se manifestar se a pessoa estiver com baixa imunidade, ou seja, quando seu organismo não for capaz de conter a multiplicação do microorganismo. Por decorrência disso, somente 10% dos infectados pelo bacilo irão desenvolver a doença, enquanto que os 90% restantes nem saberá de sua existência. Isto ocorre porque os sintomas aparecem nos indivíduos que não mantêm uma boa qualidade de vida, se alimentando de forma incorreta ou dormindo pouco, por exemplo.

A tuberculose é uma doença caracterizada pelo seu elevado grau de contágio, porém existe tratamento gratuito concedido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e as chances de cura são elevadas, chegando a 95% quando o tratamento é feito da forma correta. Porém, para evitar as complicações do tratamento, que pode durar até 9 meses, é fundamental manter uma boa qualidade de vida, garantindo o equilíbrio da saúde e contribuindo para erradicação dos males que essa doença pode trazer.

Por Airton Felix Junior


A partir de certa idade, devemos começar a nos preocupar com a saúde de nossos ossos. A osteoporose é uma doença que atinge boa parte dos idosos e é causada pela perda da massa óssea do organismo, deixando os ossos finos, ocos e sensíveis.

Mais comum em mulheres do que em homens, a doença caracteriza-se pela perda de cálcio do organismo, deixando gradativamente os ossos frágeis e levando-os a fraturas espontâneas, sendo comuns as fraturas de vértebras, fêmur, quadril e punho. A osteoporose está ligada ao hormônio estrógeno, presente em grande escala nas mulheres, o qual mantém o equilíbrio da massa óssea. Mulheres na menopausa possuem uma queda natural do nível de estrógeno, que como consequência, acarreta em perda da manutenção do cálcio.    

Nossos ossos estão em constantes transformações durante nossa vida. Exercícios físicos, nossa genética, hábitos alimentares e nossa produção de hormônios, são fatores que regulam o crescimento ou desfalecimento de nossa ossada. A alimentação rica em cálcio é muito importante para a reestruturação dos ossos e formação da camada de fixação destes.

Seus sintomas são quase imperceptíveis. Geralmente o paciente já apresenta certas fraturas ósseas e após a realização de exames sanguíneos é diagnosticado a falta de íons cálcio no organismo. Fraturas não tratadas, juntamente com a falta do diagnóstico da doença, podem acarretar em severas deformidades ósseas.

Osteoporose pode ser tratada e evitada quando diagnosticada cedo, por isso é importante estar sempre em dia com os exames de rotina, prevenindo assim as lesões em nossos ossos, lembrando também que uma alimentação balanceada ajuda na recuperação de nossa camada óssea.  

Por Rodolpho Medeiros


Como forma de conscientizar seus usuários para os riscos da Dengue, que em Pernambuco já fez uma vítima fatal, a Santa Clara Planos de Saúde, uma empresa do Sistema Hapvida, promoveu na manhã do dia 25 de março, uma campanha de prevenção.

A ação, que contou com um arte-educador caracterizado do mosquito Aedes Aegypti e distribuição de panfletos com dicas de como se proteger e identificar a doença, foi realizada nas unidades da Santa Clara instaladas no Paissandu – Central de Atendimento, Centro de Fisioterapia, Beira Rio I, Beira Rio II, Hospital Capibaribe e Central de Laboratório.

Coordenada pelo departamento de Marketing da Santa Clara, a campanha tem como estratégia, alertar a população sobre os riscos da Dengue, que vem se alastrando por todo o país, em especial no Nordeste onde, inclusive, já foram detectados casos de pessoas com o vírus 4.

No material educativo, a operadora destacou os principais sintomas da doença, como febre alta e persistente; dor de cabeça; dor atrás dos olhos; perda do apetite; vômitos e tonturas; dores musculares e nas juntas; além de moleza e manchas vermelhas pelo corpo.

O panfleto apresentou, ainda, as estratégias que as pessoas devem adotar no dia a dia para evitar a multiplicação do mosquito Aedes Aegypti, tais como:

–  Encher de areia, até a borda, os vasos de plantas;

–  Lavar, semanalmente, com escova e sabão, as áreas internas dos tanques utilizados para armazenar água;

–  Jogar fora objetos sem uso (latas, pneus etc.) que possam acumular água;

–  Manter a caixa d´água sempre fechada, com tampa adequada; e

–  Guardar garrafas sempre de cabeça para baixo.

Com essas dicas simples, a direção da Santa Clara pretende contribuir para o combate da proliferação da Dengue em Pernambuco. Vale destacar que as ações de medicina preventiva da operadora continuam ao longo do ano. Temas como hipertensão, diabetes, saúde bucal, entre outros males que persistem no Brasil de 2011, devem ser trabalhados.

Por Alexandre de Souza Acioli


Muitas mulheres no mundo sofrem ou já sofreram com o mioma, conhecido também como fibroma. O mioma é considerado um tumor uterino, e além de muito comum é benigno.

Os sintomas mais comuns são as dores na região abdominal, dor nas pernas, prisão de ventre, irregularidades no fluxo menstrual, aumento de cólicas e inchaço do abdome.

Em muitos casos é necessária a intervenção cirúrgica, mas apenas após exames e diagnóstico. Vale ressaltar que nem todos os casos são necessários a retirada do útero, apenas o mioma é retirado da paciente. Atualmente existem tratamentos a base de medicamentos que induzem a menopausa para que a produção de hormônio também diminua de forma que o mioma reduza seu tamanho. Em média esse tratamento dura cerca de seis meses.

Ao sentir qualquer alteração a mulher deve procurar imediatamente o médico, se o mioma não for tratado corretamente, pode causar a infertilidade. Cuide-se.

Por Milena Evelyn


Transpirar muito durante prática de exercício físico é natural, é o corpo liberando líquido devido ao esforço. Mas em outras situações como no trabalho com ar condicionado, em lugares ventilados ou ao ar livre merece um maior cuidado, pois pode ser uma doença chamada ‘hiperidrose’, popularmente conhecida como ‘distonia’.

Os sintomas são fáceis de ser identificados: transpiração constante geralmente na área do rosto, axilas, mãos e pés.

Os dados da Sociedade Internacional de Hiperidrose informam que este tipo de doença é comum em mais de 176 milhões de pessoas no mundo sendo encontrata tanto em homens como em mulheres de todas as idades, mas comumente identificadas no período de adolescência.

Se caso identifique os sintomas acima citados em você, o ideal é procurar um médico dermatologista, pois este é o profissional que trata de doenças relacionadas à pele.

O tratamento na maioria das vezes é simples: com talcos, sabonetes e outros artigos específicos para que se evite também a proliferação de fungos e bactérias na área.

Por Lidianne Andrade


Nesta época do ano é comum que doenças se manifestem com mais frequência e intensidade. Entre as mais comuns está a conjuntivite viral.

A conjuntivite viral é transmitida através de um vírus, que por sua vez é contagioso, portanto todo cuidado deve ser tomado.

Os principais sintomas dessa doença é a coceira, ardência, sensação de areia nos olhos, irritação intensa, secreção e visão embaçada.

As pessoas com conjuntivite devem tomar uma série de cuidados para que a doença não se espalhe. Entre os cuidados estão: evitar coçar os olhos; não dividir objetos pessoais; além de separar toalhas, lençóis e tudo aquilo que for usar.

Para diminuir as chances de você contrair conjuntivite a primeira medida a ser tomada é com relação à higiene. Lavar as mãos é a principal, pois elas contêm inúmeras bactérias e o vírus pode se hospedar nelas e transmitir as outras pessoas.

Fique atento! Ao sentir qualquer alteração procure um médico, só ele poderá recomendar o tratamento adequado.

Por Milena Evelyn


Observar pequenas atitudes do próximo, ou de si próprio, pode contribuir para a detecção de um dos problemas até comum na terceira idade. Alzheimer é uma doença progressiva e degenerativa que alcança o cérebro. Sinais como dificuldades na memorização de informações recentes e palavras simples, além de empecilhos para o exercício de atividades sem dificuldades, podem indicar esse mal.

Boa parte da população não deve saber, mas indícios do Alzheimer podem ser confundidos com estresse ou fadiga. De acordo com Márcia Lorena Fagundes Chaves, neurologista e chefe do serviço de neurologia do Hospital das Clínicas de Porto Alegre, constatados sintomas como esquecimento, dificuldades motoras e modificações no padrão funcional, bem como dificuldades na fala, deve-se agendar consulta com um especialista para verificação.

A Doença de Alzheimer (D.A.) pode ser detectada através de exames físicos e em laboratórios, por meio de exames de imagem e também a partir de testes cognitivos. Inicialmente, a doença apresenta desenvolvimento lento e até hoje, infelizmente, não existe cura, mas sim tratamentos (por meio de medicamentos) que visam prolongar a evolução desse mal.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa


Mais conhecido entre as pessoas como TOC, o Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma doença que afeta milhares de pessoas pelo mundo. Especialistas consideram essa anomalia rara, embora muitas pessoas nem saibam que tenham o problema.

Essa doença é caracterizada pela repetição de hábitos de forma excessiva, como lavar as mãos constantemente e contar objetos.

Frequentemente o TOC sofre complicações quando somadas a transtornos psiquiátricos, quadros de depressão, ansiedade e esquizofrenia.

Atualmente existem tratamentos onde não é necessário o uso de medicamentos, porém apenas um profissional qualificado poderá prescrever o remédio caso haja realmente necessidade, já que em alguns casos apenas a terapia já surte efeito.

A cura do TOC parte inicialmente do paciente, ele precisa ter a iniciativa de procurar o tratamento, para que assim ocorra a cura efetiva.

Qualquer sinal ou alteração não hesite, procure logo um médico.

Por Milena Evelyn


Os estresse é visto como algo natural se mantido em um período pequeno, uma reação necessária do corpo para mantê-lo em alerta. Porém, se for prolongado esse estado, o indivíduo pode adquirir mais facilmente uma doença ou baixar a produtividade.

Os principais sintomas são:

  • dificuldade de concentração;
  • dores musculares;
  • dor de cabeça;
  • dor no estômago;
  • infecções;
  • baixa autoestima;
  • pressão alta;
  • entre outros;

Pessoas nesse estado podem estar sujeitas a problemas associados a sua falta de ação ou reação em excesso, sendo causadoras das seguintes situações:

  • acidentes de carro;
  • perda de objetos;
  • pequenos acidentes, como deixar cair um copo e cortar-se;
  • agressão contra si ou a outras pessoas;

Quando o problema se torna crônico, é aconselhável buscar orientação médica. Quanto maior for o período e mais sintomas for sentido, maior será o grau de estresse e danos à saúde.

Por Priscila Marques


O mau-humor de alguém geralmente vem associado a alguma coisa, como problemas no relacionamento ou stress no trabalho. Porém, quando o mau-humor passa a ser parte da característica de uma pessoa, pode ser considerado um distúrbio psiquiátrico que a medicina chama de Distimia.

Para o mau-humor ser considerado uma distimia é preciso antes passar por uma avaliação de um especialista, que irá medir o tempo de duração do problema e os sintomas que ele irá acarretar na vida da pessoa.

O indivíduo que possui este distúrbio, além do simples mau-humor, irá apresentar outros sintomas como pouca energia e fadiga, dificuldade de concentração, excesso ou falta de apetite e muito sono ou insônia.

Segundo a psiquiatra, a Dra. Lina Nunes Gomes, a doença também pode causar vômitos, náuseas e enxaquecas.

Depois de devidamente diagnóstica, a Distimia poderá ser tratada por meio de psicoterapia e, nos casos mais graves, com antidepressivos. Neste caso, o paciente deve tomar o medicamento por pelo menos 2 anos.

Por Thais Cortez


São muitas pessoas no mundo todo que sofrem dos males do estresse Muito se fala da doença, os cuidados que as pessoas devem ter para evitar, mas e seus reais danos? Quais as partes de nosso organismo que são afetadas? Bom, aqui vão algumas informações sobre aspectos do corpo humano que podem ser danificados pelo estresse.

Primeiramente vamos falar do coração. Quando aparentamos algum nível de estresse, os batimentos cardíacos aumentam, e se esse efeito ocorrer em excesso, há riscos de causar derrames, pressão alta e ataques cardíacos.

Outro ponto importante para se salientar é sobre nossa respiração. Quando estamos em algum momento de estresse por exemplo, uma briga entre namorados, acontece uma elevação no suprimento de ar, pois com as narinas bem abertas as passagens de ar se dilatam. Se isso ocorrer demasiadamente pode ocasionar uma série de fobias e também pânico.

A nossa pele também é danificada com o estresse. Não é incomum acontecer das pessoas ficarem pálidas, com um tom amarelado.

Nossas glândulas do aparelho digestório sofrem alteração, podendo ocorrer elevação de açúcar no sangue, o que pode ocasionar à diabetes.

Caso tenha algum sinal da doença, procure um tratamento adequado para não deixar agravar o seu quadro clínico.


O Transtorno de Estresse Pós-traumático, TEPT, ocorre quando alguém passa por uma situação psicologicamente estressante.

Os especialistas explicam que se trata de um conjunto de sintomas emocionais e físicos, ligados diretamente à ansiedade.

O TEPT vem a ser hoje o 4º transtorno mais comum em todo mundo.

A principal causa do transtorno são eventos traumáticos que a pessoa vivenciou. Alguns exemplos destes eventos são: testemunhar uma morte ou um acidente, sofrer algum tipo de agressão física ou abuso sexual, sofrer uma ameaça com arma ou um acidente com perigo de vida, entre outros.

Alguns sintomas que podem identificar o transtorno são: Reviver o trauma através de sonhos e pensamentos, enorme excitação (hipervigilância), evitar persistentemente atividades que lembrem o trauma, surtos de raiva e constante insônia. Porém, alerta-se que esses sintomas precisam estar persistindo, pelo menos durante 1 mês, para se caracterizar a doença.

Felizmente, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) lançou o PROVE (Programa de Atendimento e Pesquisa em Violência), um projeto que visa apoiar os indivíduos que tenham sido vítimas de um trauma decorrente da violência.

Acesse o site do programa para mais informações.

Por Thais Cortez


A revista americana Menopause, especializada no assunto menopausa, apresentou a publicação de uma pesquisa realizada por médicos do Northwestern Memorial Hospital de Chicago (EUA).

De acordo com a pesquisa, os sintomas que incomodam tanto as mulheres na menopausa, como o calor intenso, são bons sinais, pois pode ser indício de menor risco de problemas como derrames e ataques cardíacos.

O estudo, que durou 10 anos, foi conduzido pela médica endocrinologista Emily Szmuilowicz e envolveu 60 mil mulheres que eram participantes de um programa de saúde da mulher, que tinha como objetivo relacionar sintomas da menopausa com problemas cardiovasculares.

Segundo a Drª. Emily, a pesquisa ajudou a descobrir que mulheres com sintomas de climatério (transição da fase em que a mulher é fértil para a fase que deixa de ser) apresentavam menos incidentes relacionados ao coração do que aquelas que manifestavam as oscilações de calor tardiamente na menopausa, ou em relação às que o calor intenso era ausente. 

Por Andrea Gomes

Fonte: BBC


O hipertireoidismo é uma doença que causa mudanças na glândula tireoide (que fica na região do pescoço). A tireoide é responsável pela produção de hormônios importantes para o funcionamento do organismo: os hormônios T3 e T4.

Quando a doença surge, no início, o paciente percebe poucos sintomas, como desconforto, fraqueza e cansaço. Se a pessoa não procurar tratamento médico, o hipertireoidismo pode evoluir para um estágio mais grave capaz de levar o paciente até a morte.

Os sintomas mais comuns do hipertireoidismo mais grave são: irritabilidade, fadiga, nervosismo, ansiedade , intolerância ao calor, taquicardia, fraqueza muscular, suor excessivo, tremores, insônia, e no caso das mulheres, o ciclo menstrual sofre alterações.

Em caso de alguns desses sintomas, consulte um médico endocrinologista. Ele é o especialista mais indicado para identificar a doença e formular o tratamento específico para o seu caso.

Após o diagnóstico, o endocrinologista pode optar por três tipos de tratamento: por iodo radioativo, cirurgia ou remédios. O tratamento tem uma duração média de dois anos, que é o tempo em que o hipertireoidismo leva para se estabilizar.

Fonte: Rafael Reinehr – Médico Endocrinologista

Por Selma Peigo


Você sabia que o “piscar de olhos” é fundamental para a nossa saúde? Porém, quando esse simples mecanismo se torna extremamente repetitivo e anormal, pode se caracterizar em uma doença chamada de blefaroespasmo.

Normalmente, o problema começa discretamente e vai se intensificando aos poucos. Os músculos orbiculares acabam provocando contrações involuntárias da pálpebra e a pessoa acaba piscando sem parar, a ponto de às vezes nem enxergar direito, o que pode acarretar em uma cegueira funcional, incapacitando aquela pessoa de exercer simples atividades do dia-a-dia, como cozinhar, escrever, ler e dirigir.

Os especialistas acreditam que o problema seja causado por uma anormalidade no funcionamento dos gânglios basais, que participam do controle dos movimentos das pálpebras. Porém, existem outros fatores que ajudam a desenvolver a doença, como: stress, traumas emocionais e o consumo excessivo da cafeína.

Ainda não foi diagnosticado um tratamento para a cura da doença, mas ela pode ser controlada, transitoriamente, com o famoso botox. Para um parecer minucioso é necessário procurar um oftalmologista.      

Saiba mais sobre a doença no site da Associação Brasileira dos Portadores de Distonias (ABPD).

Por Thais Cortez


Poucas pessoas tomam conhecimento da gravidade e da quantidade de alterações que uma doença ou distúrbio de hormônios e glândulas podem causar ao nosso organismo.

O Hipertireoidismo é uma dessas doenças, proveniente da glândula tireoide responsável pela produção hormonal, que por sua vez atinge mais mulheres que homens.

Essa doença tem como principais sintomas a arritmia cardíaca, insônia, dificuldade de ganhar peso, pressão arterial alta, olhos saltados e o aumento da tireoide na região do pescoço.

O diagnóstico deve ser realizado logo no início quando aparecem os primeiros sintomas, já que é longo e gradativo. Muitos casos necessitam de cirurgia, ou seja, a retirada da glândula, outros apenas com medicamentos a base de tiroxina (T4) que é um poderoso hormônio ou rádio iodo, procedimento que consiste na queima da glândula com iodo.

Ao sentir qualquer alteração, procure imediatamente o médico para diagnostico e tratamento adequados.

Por Milena Evelyn


Muitas pessoas ainda desconhecem a Síndrome da Fadiga Crônica, essa doença é caracterizada pelo cansaço excessivo acompanhado de vários outros sintomas, porém é uma fadiga inexplicável.

Dores de cabeça, dores pelo corpo, distúrbios do sono, problemas de memória, dores nas articulações intermitentes por um período maior que 6 meses são sinais claros da doença.

Seu diagnóstico nem sempre é imediato, visto que a fadiga é um sintoma decorrente de vários outros tipos de doença, portanto suas causas também são mais difíceis de detectar, a Síndrome da Fadiga Crônica requer exames e muita conversa com o médico.

Sendo assim, não existe um tratamento específico para essa doença, em muitos casos remédios e terapia com um psicólogo são indicados como tratamento.

Ao sentir cansaço excessivo ou alterações na sua rotina procure um médico, o quanto antes o diagnóstico for feito, mais rápida será a cura.

Por Milena Evelyn


Estima-se que cerca de 50% das mulheres em idade fértil sejam atingidas pelos sintomas da TPM. Entre os mais comuns estão, sensibilidade, choro, irritação, inchaço e mudança brusca de humor. Além da alteração hormonal ser a principal responsável pela TPM o estresse do dia a dia também contribui para aumentar os sintomas indesejáveis.

Para amenizar o problema, algumas dicas básicas podem ajudar muito como: alimentação equilibrada, rica em frutas, pois elas aumentam o nível de serotonina, durante o período tome bastante chá de camomila e maracujá, inclua castanhas no café da manhã, elas ajudam a diminuir a irritabilidade e as dores de cabeça, o óleo de prímula ingerido em forma de cápsulas contribui para aliviar o inchaço, o intestino preso e as dores.

Apenas em casos mais graves o médico pode receitar remédios, mas antes deve ser feita uma consulta para avaliação correta do caso. Invista numa vida saudável e ganhe diversos benefícios.

Por Milena Evelyn


De acordo com pesquisa realizada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) 43% da população brasileira até os 29 anos de idade pratica alguma atividade física. Esse resultado é positivo, mas preocupante ao mesmo tempo, já que o número de pessoas diagnosticadas com a Síndrome do Impacto também é grande.

As dores na virilha geralmente se manifestam após a prática da atividade física, esse é o sintoma mais comum, e acreditando não ser nada grave a pessoa não procura ajuda.

Todos que praticam várias atividades ao mesmo tempo, como futebol, tênis, balé ou tae-kwon-do, são os mais propensos a desenvolver o problema.

O problema pode passar despercebido durante muito tempo, sendo tratado como uma distensão muscular e com automedicação. Em alguns casos avançados a cirurgia para a colocação de próteses é recomendada pelo médico.

Se não tratada corretamente e depressa o problema também pode afetar o quadril e os joelhos, caso sinta dores procure imediatamente o médico para uma avaliação.

Por Milena Evelyn


Muito comum entre a maioria da população a enxaqueca atinge, pessoas de todas as idades. De acordo com pesquisas uma em cada cinco pessoas sofrem com o problema.

Os sintomas mais comuns da enxaqueca são dores de cabeça muito forte, náuseas, tontura, visão embaçada e vômitos.

Vale lembrar que a alimentação em muitos casos está diretamente ligada a doença, alguns alimentos podem causar crises que por sua vez podem durar dias.

Os queijos, excesso de café, alimentos que contém aspartame, bebidas alcoólicas, alimentos preparados com glutamato monossódico e alimentos em conserva são os principais vilões da doença.

Para evitar as crises de enxaqueca, além de evitar certos alimentos, não pule as refeições e procure fazer uma dieta bem equilibrada.

Atualmente já existem tratamentos preventivos para a doença, procure um médico e saiba mais a respeito.

Por Milena Evelyn


A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo fez um estudo onde aponta que crianças e adolescentes até 14 anos são os que mais sofrem de desidratação no verão. Foram 3.871 casos de internação entre janeiro e março de 2010 por falta de consumo de líquidos.

Os principais sintomas do problema são: sede, náusea, fraqueza e cansaço. E, nos casos mais graves, poderá ocorrer calafrios e vômito. Para evitar que isso aconteça em todas as idades, as pessoas devem usar roupas leves e claras, ingerir bastante líquido, seja água, sucos ou chás e não permanecer embaixo de sol forte.

Caso apareçam alguns dos sintomas na pessoa, comece a ingestão do soro caseiro que é preparado a partir de 1 litro de água mineral, uma colher de café de sal e uma de sopa de açúcar e dirija-se a um médico ou posto de saúde.

Por Danielle Vieira


Muitas pessoas sofrem de um problema chamado Bruxismo, ele atinge todas as idades e ambos os sexos. O bruxismo nada mais é que o ranger dos dentes de forma continua, se torna um hábito praticado pelo indivíduo durante o dia e a noite. Ele aos poucos vai desgastando os dentes provocando dores e afetando a estética do rosto.

O problema na maioria das vezes é causado por problemas emocionais como tensão e estresse e nem sempre é notado rapidamente. Em muitos casos a pessoas range os dentes durante a noite como se estivesse mastigando alguma coisa e demora muito a perceber isso.

Atualmente existe tratamento para o problema e é muito simples, uma placa usada na hora de dormir ajuda o paciente diminuir o contato entre os dentes prevenindo o desgaste.

Procure um dentista e identifique logo o problema, quanto mais rápido for detectado mais fácil o tratamento.

Por Milena Evelyn


Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o homem também passa por problemas hormonais em determinado período da vida.

Em geral os primeiros sintomas da andropausa são: Queda da libido ou o chamado apetite sexual, memória fraca, dificuldade de ereção, perda de massa muscular, distúrbios do sono, entre outros.

Na maioria dos homens surge a partir dos 50 anos, época em que os níveis de testosterona caem, mas a sua origem se deve a vários fatores.

Atualmente os médicos recomendam como tratamento a reposição hormonal, muito parecida com as que são receitadas às mulheres.

Como prevenção é aconselhável que todos os homens a partir dos 40 anos procurem um urologista para consultas de caráter preventivo.

Previna-se sempre, não espere os sintomas surgirem.

Por Milena Evelyn


O início do ano é marcado pelo calor, pelas chuvas fortes, e pelas inevitáveis enchentes que se tornam o tema principal dos noticiários nesta época do ano. São comuns imagens de crianças que costumam nadar nessas águas turvas, principalmente em locais mais humildes, os mais castigados pelas chuvas de verão. Pode parecer uma diversão inocente, mas é uma brincadeira perigosa, pois o contato com água suja pode causar leptospirose.

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria presente na urina do rato, que pode ser transmitida através do contato com a água ou lama de enchentes e esgotos. Os sintomas mais comuns da doença são febre, dor de cabeça e dores no corpo até 40 dias após o contato com estas águas.

Se surgirem esses sintomas, procure imediatamente o posto de saúde mais próximo e informe ao médico que teve contato com a água contaminada.

Por Selma Isis

Fonte: Portal Saúde


Quando há alterações nos níveis de glicose em nosso corpo, significa que há deficiência de insulina e, provavelmente diabetes. Conheça os sintomas da diabetes tipo 2 e fique atento.

A grande maioria dos portadores de diabetes tipo 2 possui familiares com a doença que, além de hereditária, pode ser causada por obesidade e sedentarismo.

Enquanto o diabetes do tipo 1 é caracterizado pela baixa ou ausência de insulina, o diabetes tipo 2 ocorre quando há excesso dela, de forma que as células não conseguem absorvê-la em sua totalidade e acabam não não metabolizando a glicose de forma adequada. Neste caso trata-se de "resistência Insulínica" e o tratamento consiste em dieta e exercício físico, sendo necessário, em alguns casos a utilização de medicamentos orais e insulina.

É importante que se conheça os sintomas do diabetes tipo 2, como infecções freqüentes, alteração na visão ou visão embaçada, além de grande dificuldade de cicatrização de feridas, constante formigamento nos pés e furunculose.

Na presença de alguns desses sintomas de forma persistente, consulte um médico e faça todos os exames solicitados por ele. O diabetes, seja ele do tipo 1 ou tipo 2, quando tratado de forma adequada, permite que o portador leve uma vida normal.

Por Lisa


Quando alguma coisa vai mal em nosso organismo, todo ele sofre, uma vez que seu funcionamento é como o de uma engrenagem. Para evitar doenças, conheça a diabetes Tipo 1 e seus sintomas.

A insulina transporta a glicose até as células. Estas, por sua vez, a queima para gerar energia. dessa forma, quem sofre de diabetes tipo 1, sofre de redução na produção de insulina, impedindo a queima da glicose, causando a elevação em seus índices, o que é muito prejudicial à saúde.

Sabendo os sintomas da diabetes tipo 1, como a vontade de urinar por muitas vezes, sentir fome freqüente, sede permanente, perda de peso sem motivo aparente, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náusea e vômito será mais fácil perceber a necessidade de procurar um médico para que este proceda com os exames necessários para diagnosticar ou eliminar a possibilidade de que o paciente esteja acometido pela doença.

O tratamento, quanto antes for iniciado, mais rápido será seu efeito e controle da doença, gerando estabilidade no organismo.

Por Lisa





CONTINUE NAVEGANDO: