Se o seu (sua) companheiro (a) reclama que você ronca demais enquanto dorme, tome cuidado! O ronco não é um problema apenas para quem convive com a pessoa que ronca, mas para o próprio “roncador”. Ele pode sofrer consequências leves como sonolência durante o dia ou dificuldade de se concentrar em suas tarefas a até mais graves como problemas cardíacos, como hipertensão, derrame, infarto e até morte súbita.

O ronco provém da flacidez dos tecidos da garganta, que obstrui a passagem do ar. Geralmente, durante a madrugada, acontece a apnéia obstrutiva do sono, que é quando a pessoa para de respirar porque o ar não consegue passar pela faringe. A pessoa até acorda, mas dorme novamente, sem perceber o que aconteceu.

Para curar a apnéia, é recomendado o uso do Dispositivo Anti-Ronco, composto por duas placas de acrílico colocadas uma na parte de cima e outra na parte de baixo da boca. Assim, ele faz com que a mandíbula fique posicionada de modo a deixar a faringe aberta, liberando o ar. Enquanto apenas 40% dos pacientes que sofriam do problema e passaram por cirurgias foram curados, 87% dos problemas foram resolvidos com o uso do dispositivo. 

Por Flávia Yoshitani


Muitas pessoas convivem com o ronco pacificamente, mas se esquecem de que o ronco é um problema de saúde que pode ser considerado grave.

Com ele sinais de doenças mais graves podem começar a surgir, como a apneia do sono, problemas cardíacos, gengivite, glaucoma e até mesmo diabetes.

Atualmente existem alguns tratamentos para o problema, na área odontológica, por exemplo, dentistas recomendam o uso de placas como uma forma de amenizar o ronco.

A apneia do sono é grave, essa disfunção consiste em pequenas interrupções durante o sono do indivíduo e nesse período ele fica sem respirar, voltando ao normal em seguida.

Procure um médico especialista e peça uma avaliação do seu caso, não espere o tempo passar, os cuidados com a saúde deve estar em primeiro lugar.

Por Milena Evelyn





CONTINUE NAVEGANDO: