Uma das maiores glândulas que o ser humano tem no corpo é a tireoide que está localizada no pescoço logo abaixo da traqueia. Ela é responsável pela produção dos hormônios conhecidos como T3 e T4. Esses hormônios são responsáveis pela regulação da taxa do metabolismo.

O iodo é um componente essencial para esses hormônios e por isso o sal que compramos hoje nos supermercados é iodado. Porém, pesquisas indicam que muito iodo pode causar problemas nesta glândula. Um dos maiores problemas apresentados por ela é o hipertireoidismo e o hipotireoidismo.

Se uma pessoa possui hipertireoidismo significa que o metabolismo dela é acelerado, mais rápido do que o normal e isso normalmente faz com que ela não consiga engordar. Agora, se uma pessoa possui hipotireoidismo o caso é exatamente o contrário, significa que ela possui o metabolismo lento e engorda com facilidade, já que o corpo tem mais dificuldades de queimar gorduras.

Em ambos os casos de hiper ou hipotireoidismo há tratamentos. As mulheres costumam apresentar mais esses tipos de problemas do que os homens. Os sintomas de que tem problemas na tireoide são, não conseguir emagrecer ou engordar, sentir muito cansaço, muito sono ou sentir insônia, dentre outros.

Uma pessoa que perceba que seu metabolismo não está funcionando bem pode procurar um médico endocrinologista, ele vai pedir para fazer exames de sangue para medir as taxas dos hormônios da tireoide no sangue e, se for o caso, que se faça também um ultrassom da região do pescoço.

Por Karin Földes


O hipertireoidismo é uma doença que causa mudanças na glândula tireoide (que fica na região do pescoço). A tireoide é responsável pela produção de hormônios importantes para o funcionamento do organismo: os hormônios T3 e T4.

Quando a doença surge, no início, o paciente percebe poucos sintomas, como desconforto, fraqueza e cansaço. Se a pessoa não procurar tratamento médico, o hipertireoidismo pode evoluir para um estágio mais grave capaz de levar o paciente até a morte.

Os sintomas mais comuns do hipertireoidismo mais grave são: irritabilidade, fadiga, nervosismo, ansiedade , intolerância ao calor, taquicardia, fraqueza muscular, suor excessivo, tremores, insônia, e no caso das mulheres, o ciclo menstrual sofre alterações.

Em caso de alguns desses sintomas, consulte um médico endocrinologista. Ele é o especialista mais indicado para identificar a doença e formular o tratamento específico para o seu caso.

Após o diagnóstico, o endocrinologista pode optar por três tipos de tratamento: por iodo radioativo, cirurgia ou remédios. O tratamento tem uma duração média de dois anos, que é o tempo em que o hipertireoidismo leva para se estabilizar.

Fonte: Rafael Reinehr – Médico Endocrinologista

Por Selma Peigo


Poucas pessoas tomam conhecimento da gravidade e da quantidade de alterações que uma doença ou distúrbio de hormônios e glândulas podem causar ao nosso organismo.

O Hipertireoidismo é uma dessas doenças, proveniente da glândula tireoide responsável pela produção hormonal, que por sua vez atinge mais mulheres que homens.

Essa doença tem como principais sintomas a arritmia cardíaca, insônia, dificuldade de ganhar peso, pressão arterial alta, olhos saltados e o aumento da tireoide na região do pescoço.

O diagnóstico deve ser realizado logo no início quando aparecem os primeiros sintomas, já que é longo e gradativo. Muitos casos necessitam de cirurgia, ou seja, a retirada da glândula, outros apenas com medicamentos a base de tiroxina (T4) que é um poderoso hormônio ou rádio iodo, procedimento que consiste na queima da glândula com iodo.

Ao sentir qualquer alteração, procure imediatamente o médico para diagnostico e tratamento adequados.

Por Milena Evelyn





CONTINUE NAVEGANDO: