Saiba aqui como aliviar a Cólica Menstrual.

É só a TPM (Tensão Pré-Menstrual) se aproximar para que você fique temendo as indesejáveis cólicas menstruais? Essa é uma das queixas mais recorrentes entre o público feminino, que sente fortes dores na região do útero, passando a ter menos disposição para realizar as suas tarefas diárias e quer ficar na cama até esse problema acabar.

Apesar de esse inconveniente ter que ser enfrentado todo o mês pelas mulheres, felizmente há dicas que podem ser colocadas em prática para aliviar a dor e permitir que você continue levando a sua rotina normalmente.

Quer saber mais? Confira, abaixo, o que fazer para diminuir as dores da cólica menstrual!

O que é cólica menstrual?

Também chamada de dismenorreia, a cólica é o sintoma mais comum da menstruação e que mais incomoda as mulheres. Existem dois tipos de cólica: a primária, que se manifesta desde a menarca — primeira menstruação — juntamente com o começo dos ciclos ovulatórios; e a secundária, que acontece depois de um período de dor.

A cólica primária tem natureza desconhecida e inerente ao organismo feminino. Enquanto que a cólica secundária pode ocorrer por conta do desenvolvimento de doenças, como inflamações pélvicas, miomas e endometriose.

Quais são os sintomas?

Geralmente, a cólica menstrual pode vir junto com enjoos, vômitos, diarreia, dor de cabeça, cansaço, nervosismo, vertigem e desmaios.

Em se tratando das cólicas secundárias, a tendência é que os sintomas se manifestem depois de uma doença orgânica ou acontecimento específico. Nesse sentido, as causas mais comuns são alterações nos ovários ou útero, endometriose, uso de DIU, doença inflamatória pélvica, hímen sem orifício para menstruar ou má formações uterinas.

Como aliviar a dor?

Uma maneira simples de tratar a dor da cólica é deitar-se na cama em posição fetal e colocar uma bolsa de água morna na área do útero, e ficar em repousou por, pelo menos, uma hora. Outra opção é deitar de costas, dobrar as pernas e encostar a sola do pé no chão, depois balance as coxas de um lado para o outro vagarosamente.

Você leva uma vida sedentária? Saiba que começar a praticidade exercícios físico pode ser ótimo para diminuir a cólica menstrual. Isso porque durante as atividades o seu corpo libera endorfinas e substâncias que agem como analgésicos naturais para o organismo, diminuindo a intensidade da dor. O ideal é que você se exercite de forma regular e não só no período menstrual.

Além disso, você pode apostar na prática de yoga, que ensina técnicas de relaxamento e consciência corporal, que reduzem as dores físicas. Também pode-se fazer acumpuntura e biofeedback.

Mais uma opção é usar continuamente métodos anticoncepcionais, como injeção, pílula, anel vaginal ou adesivo transdérmico que diminuem o fluxo menstrual e, consequentemente, as dores sentidas na cólica.

Se as dores provenientes da cólica menstrual são muito intensas e permanecem durante toda a sua menstruação, você deve procurar ajuda médica para tratar-se com o auxílio dos medicamentos apropriados para o seu caso. Normalmente, são recomendados anti-inflamatórios que agem no foco da dor.

Previna-se com uma boa alimentação

Mais do que tratar as dores da cólica menstrual, você pode adotar medidas que ajudam na prevenção e fazem com que elas aparecem com bem menos intensidade ao longo do tempo. Uma forma de fazer isso é modificando os seus hábitos alimentares e adotando uma alimentação mais saudável e equilibrada, uma vez que há alimentos com composições que alteram os hormônios femininos e modificam o fluxo menstrual.

Para tanto, é recomendável fazer refeições ricas em ômega 3 e complexo B, como ovos, salmão, leguminosas, frutas, azeite de oliva e carnes miúdas, que controlam a síntese de prostaglandinas e estimulam a liberação de endorfina.

Texto por Simone Leal


Uma das principais reclamações das mulheres aos médicos ginecologistas são as cólicas menstruais. Mais da metade delas em idade fértil reclama desse problema e de 10 a 15% tem dores tão fortes que chegam a interferir na vida cotidiana, ocasionando até faltas ao trabalho ou à escola.

Os médicos classificam as cólicas (dismenorréia) como primárias e secundárias. As primárias são aquelas ocorrem por causa da TPM e da menstruação e as secundárias são aquelas que ocorrem por alguma doença que a mulher possa ter.

A menstruação acontece quando há uma limpeza da camada interna do útero que, durante o ciclo menstrual foi preparado para uma possível gravidez. Para que não haja uma perda muito grande de sangue o corpo faz com que o útero se contraia. Essa contração é feita por uma substância chamada prostaglandinas que também causa a dor.

Assim, para que não haja dor é preciso tomar um medicamento que bloqueie a produção dessa substância que são remédios para cólicas. Além dsso outros sintomas são normais nesse período como cansaço, nervosismo, náuseas, diarréia, vômitos, dores nas costas e até desmaios.

Por Karin Földes





CONTINUE NAVEGANDO: