Vacina da Gripe 2021 – Informações e Mudanças na Campanha

Saiba aqui o que muda na campanha de vacinação para Gripe neste ano de 2021.

Não há dúvidas que estamos vivendo momentos delicados na saúde mundial. A pandemia provocada pelo “Covid-19” já fez muitas vítimas, porém, várias vacinas contra isso já estão sendo aplicadas e tantas outras estão surgindo e fazendo os seus devidos testes. A humanidade já começa a “ver a luz no fim do túnel” com o início da vacinação em massa da população terrestre.

Agora, e as outras doenças e os outros vírus, sumiram? Obviamente que não!

O Ministério da Saúde se organiza para começar a 23ª Campanha Nacional de Vacinação, que neste caso, irá imunizar contra a Gripe, seguindo orientações específicas por conta do contágio do novo coronavírus.

A vacinação está marcada para começar dia 12 de abril, tendo o seu término programado para o dia 9 de junho. A meta é vacinar de 90% (noventa por cento) do chamado “público-alvo”, que consiste em quase 80 (oitenta) milhões de pessoas. No ano passado essa mesma campanha superou o objetivo, imunizando 95,7% do grupo estabelecido na época.

Para este ano alterações foram feitas, e agora em 2.021 as crianças que tem entre 6 (seis) meses e 6 (seis) anos de idade, irão ser vacinadas, o mesmo vale para gestantes e puérperas (fase pós-parto), povos indígenas, trabalha da saúde, idosos com 60 (sessenta) anos ou mais, professores, tanto da rede pública, quanto da rede privada, pessoas com deficiência permanente ou com doenças crônicas não transmissíveis e também com outras enfermidades, profissionais que são das forças de segurança e também de salvamento, como os policiais e os bombeiros, funcionários do sistema prisional, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores portuários e de transporte coletivo rodoviário, jovens sob medidas socioeducativas que tem entre 12 e 21 anos e a população privada de liberdade.

Leia também:  Vacinação contra Gripe em Curitiba (PR) - Cronograma e Locais

As doenças crônicas e outras enfermidades mencionadas acima se designa à diabetes, obesidade, doenças respiratórias, cardíacas, hepáticas, neurológicas, ambas crônicas, imunossupressão, pessoas transplantadas e pessoas portadores de trissomias.

Nas campanhas anteriores, as vacinas que, “sobraram”, foram destinas para as pessoas fora dos requisitos de prioridades, ou seja, isso também pode acontecer esse ano, fique de olho.

A aplicação será em dose única para todas as pessoas, salva a exceção das crianças. Caso a criança nunca tenha recebido o imunizante, as duas doses serão aplicadas juntas, caso contrário, um intervalo de quatro semanas deverá ser respeitado.

A vacinação ocorrerá em três fases, dividindo em grupos, para não sobrecarregar os setores envolvidos e também para evitar aglomerações por conta do nosso estado de calamidade pública. Os locais serão os postos de vacinação apropriados que cada município possui.

Não foi divulgado exatamente em qual sábado será, mas haverá um dia em que os agentes de saúde irão percorrer estações de metrô, parques, shoppings, etc, para fazer a vacinação aleatória, fique atento às notícias em breve.

A vacina da gripe é desenvolvida a partir de resultados obtidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que faz um levantamento dos vírus influenza e desenvolve o imunizante.

Dois tipos de vacinas estão em produção, porém, apenas uma vem para o hemisfério sul, aqui para o Brasil, ela é composta pelos imunizantes do H1N1, o H3N2 e da linhagem B/Victoria.

É claro que muitas pessoas vão ficar de fora dessa lista, eu particularmente, porém, “nós” podemos ter acesso a essa vacina nas clínicas privadas.

Em tempos de calamidade como passamos, todos os tipos de imunizantes contam muito para não termos que ir a qualquer hospital que seja, por conta de uma gripe.

Leia também:  Gripe - Como Prevenir e Evitar Contaminar Outras Pessoas

Além dessa “injeçãozinha” contra a gripe, hábitos e alimentos saudáveis, a espera da vacina contra o Covid-19, máscara, álcool em gel, distanciamento e isolamento social e a fé de cada ser humano, são os pontos cruciais que devemos ter para, juntos, passar por todo esse ponto importantíssimo da história global.

Por Fernando Dias

Próximo Post

Não há mais posts

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *