Vacinação contra Gripe em Curitiba (PR) – Cronograma e Locais



Confira aqui mais detalhes sobre a Campanha de Vacinação contra Gripe em Curitiba (PR).

Na manhã desta segunda feira (30) foi retomada a campanha de vacinação contra Influenza (gripe) em Curitiba, onde idosos acamados em instituições de longa permanência são prioridade, juntamente com profissionais de saúde.

Para os idosos acamados, funcionários de saúde municipais estão agendando atendimento com os responsáveis e aplicando a vacina nas residências, asilos e instituições. Portanto, dessa vez a campanha não contará com postos de Drive Thru como no primeiro período, que ocorreu do dia 23 ao dia 25 deste mês, e teve de ser interrompida conveniente ao término das vacinas disponíveis, de acordo com a prefeitura da cidade.



Cerca de 130 mil pessoas foram vacinadas nesse período, dentre o grupo programado de idosos e profissionais de saúde. Eram previstos 15 dias de campanha, porém, as vacinas foram aplicadas em 2 dias, de acordo com a superintende de Gestão da Secretaria de Saúde da cidade, Flávia Quadros.

A prefeitura de Curitiba anunciou neste dia 20 a campanha de vacinação contra gripe, com pontos de Drive Thru para os idosos, com a montagem de 42 pontos externos. O método visava principalmente o afastamento social para evitar risco de infecção, já que a campanha pretende vacinar 118 mil idosos somente na primeira fase.



A campanha ao total objetiva vacinar 620 mil pessoas na cidade, subdivididas em grupos por datas, para não sobrecarregar os postos de saúde e pólos instalados temporariamente.

Na primeira fase, iniciada dia 23 de março, destinado a idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. A segunda fase, que iniciará a partir de 16 de abril, propõe-se vacinar professores de escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e doentes crônicos que possuam prescrição médica ou acompanhamentos por unidades de saúde. A terceira e última fase, prevista para 9 de maio, está destinada a crianças com faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos, bem como gestantes, puérperas – mulheres que estão em fase de pós parto – e adultos de 55 a 59 anos.

Mais informações sobre os locais de vacinação podem ser encontrados no link.

De acordo com o Ministério da Saúde, esta é a 22ª campanha de vacinação contra a gripe, com o objetivo de minimizar os impactos da propagação do COVID-19 nos sistemas de saúde. Segundo especialistas, a vacina não previne a contração do vírus, mas prevê uma diminuição da procura pelos serviços de saúde por influenza, para que a assistência possa ser dada a casos realmente suspeitos da COVID-19 e casos confirmados, como prioridade para casos mais graves. O intuito é não sobrecarregar o sistema de saúde público e privado.

Inicialmente ao ser anunciada, a campanha buscava priorizar gestantes, crianças de até seis anos, puérperas e idosos. Com a alta demanda e risco entre idosos, o ministério da saúde decidiu iniciar a campanha com este grupo, que possui taxa de letalidade de 8% para a faixa etária de 70 a 79 anos, e até 15% para idade acima de 80 anos, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

A recomendação do ministério da saúde para os grupos de risco, que incluem também pessoas com doenças crônicas ou respiratórias, hipertensos, diabéticos, entre outras, mesmo fora da faixa etária acima dos 60 anos, é evitar ao máximo aglomerações e contato social, nesse período de investigação da propagação do vírus.

De acordo com o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, o número de casos pode subir cada vez mais nos meses de abril, maio e junho, tendo uma estabilização no mês de julho. Iniciando uma queda apenas em meados de agosto, e a partir de setembro com uma queda significativa. Esta previsão foi feita a partir da observação do comportamento do vírus na China.

Por Daniela Ramirez

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *