Diferenças entre Epidemia, Pandemia, Endemia e Surto



Saiba aqui quais são as diferenças entre Epidemia, Pandemia, Endemia e Surto.

Mais da metade de todos os países do mundo já relataram casos de infecção pelo novo coronavírus corona, agora a Organização Mundial da Saúde classificou o surto do vírus como uma pandemia. Mas o que isso significa?

Para a OMS definir o novo vírus como pandemia ela não levou em consideração a gravidade da doença, mas outros fatores como a disseminação da mesma. A preocupação da Organização Mundial de Saúde está relacionada aos índices alarmantes que mostram como o vírus está se espalhando pelo mundo.



Segundo o diretor-geral da OMS, o número de países afetados triplicou em apenas duas semanas e se espera que com o passar dos dias o número de infectados e mortos pelo Coronavírus aumente ainda mais, levando em consideração o alto índice de contágio da doença.

Entretanto, existem algumas dúvidas quanto a diferença entre alguns termos como Pandemia, epidemia, endemia e surto que devem ser apresentados à população para garantir maior informação sobre o problema de nível mundial.



Epidemia

Uma epidemia é a ocorrência de uma doença , especialmente uma doença infecciosa , que é altamente frequente, local. Uma epidemia é a ocorrência de uma doença, especialmente uma doença infecciosa, que é altamente frequente, localizada e limitada no tempo.

Como epidemias podem ser classificadas como explosivas quando tem subidas íngremes e descidas rápidas na propagação da doença. É o caso, por exemplo, quando é espalhado pela água potável. Por outro lado, uma epidemia tardia é caracterizada por um lento aumento e queda no número de casos. Este último geralmente se aplica a uma doença transmitida por contato físico.

Nesse cenário, como não há surto real, mas transmissão generalizada do vírus, os casos são analisados ​​e os riscos avaliados, implementando estratégias de controle e programas de prevenção, como, no caso da influenza, vacinação.

Leia também:  Máscara para Coronavírus - Quando Usar, Prós e Contras

Pandemia

O termo pandemia é composto pelas palavras gregas antigas "pan" para "tudo" e "demos" para "pessoas". Ao contrário de uma epidemia, uma pandemia não é local, mas se espalha por países e continentes.

A OMS define uma pandemia como uma situação em que toda a população mundial está potencialmente exposta a um patógeno e existe o risco de que “parte dela fique doente.” No entanto, a classificação como pandemia não diz nada sobre o quão contagiosa ou fatal é a respectiva.

Nas últimas décadas, a OMS falou repetidamente de pandemias quando doenças se espalharam pelas fronteiras. Por exemplo, o surto de Ebola na África Ocidental a partir de 2013 e a gripe suína em 2009 e 2010 foram classificados como pandemias.

Endemia

Uma endemia é caracterizada pela apresentação de uma doença em uma determinada área geográfica específica. A endemia difere da epidemia por ser de caráter mais contínuo e restrito a uma determinada área. No Brasil, por exemplo, existem áreas endêmicas de febre amarela na Amazônia, áreas endêmicas de dengue etc.

Em algumas situações, uma endemia pode evoluir para uma epidemia, existindo, nesse caso, uma doença endemoepidêmica. Esta transição entre a endemia e a epidemia geralmente está relacionada aos fatores ecológicos que condicionam o desenvolvimento de uma doença em determinada região. O termo "endêmico" passou a referir-se, de forma mais específica, ao grau de ocorrência de uma doença, ou seja, à proporção entre o número total de casos da doença e o número de indivíduos em risco de a adquirir numa área geográfica e temporalmente bem definida

Surto

Um surto é caracterizado quando uma doença infecciosa leva a um aumento repentino de infecções em uma comunidade, região ou estação bem circunscrita.. Mesmo um caso isolado de doença perdida há muito tempo pode ser considerado um surto. Um exemplo comum pode ser surtos de salmonela, geralmente devido à água poluída.

Leia também:  Arenavírus - O Que é, Sintomas, Tratamento

Nestes casos, uma investigação epidemiológica é capaz de descobrir a fonte da infecção traçando um mapa dos movimentos das pessoas afetadas. Dessa forma, é possível encontrar o centro do surto, colocá-lo em segurança e identificar as pessoas com quem ele entrou em contato e que ainda não foram observadas.

Pietra Costa

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *