Candidíase – O Que é, Causas, Sintomas, Tratamento





Saiba aqui todos os detalhes sobre a Candidíase.

Candidíase é, de longe, o assunto mais debatido em fóruns e rodas sobre saúde feminina. É comum ouvir participantes se queixarem desse incômodo recorrente e da dificuldade em encontrar uma solução definitiva para o problema. Realmente, o fungo que provoca o processo de infecção é resistente em muitos casos.

Embora ocorra na região genital, a candidíase não é considerada uma Infecção Sexualmente Transmíssivel. Ela também aparece em outras regiões do corpo e não apenas em mulheres, podendo inclusive afetar idosos, homens e crianças. Acompanhe abaixo quais são as causas e como evitar a candidíase.




Causas da candidíase

A candidíase é causada por um tipo de fungo que é comum na pele, na área genital e no aparelho digestivo. Em um ambiente não favorável, o fungo causador permanece silencioso, manifestando-se apenas em condições propícias.

As regiões mais comuns do surgimento da candidíase é a vagina, vulva, pênis, boca (sapinho e afta), dobras da pele, axilas, abaixo das mamas, entre os dedos, no esôfago e até mesmo na área da fralda dos bebês. Veja abaixo os principais causadores da candidíase:


  • Excesso ou falta de higiene;

  • Lesões no local;

  • Ambientes úmidos e quentes;

  • Roupa íntima sintética e muito apertada;

Grupos que precisam ter atenção

Todas as mulheres formam um grupo que precisa de cautela em relação ao fungo, contudo, quando o sistema de defesa do corpo está enfraquecido, a pessoa fica muito mais exposta, portanto, os seguintes grupos precisam de muito mais cautela:

  • Indivíduos, com diabetes;

  • Quem usa corticoides;

  • Baixa imunidade pelo HIV;

  • Transplantados;

  • Mulheres grávidas;

O estresse e candidíase

Mesmo mulheres fora dos grupos citados, podem apresentar a candidíase. Isso ocorre pelo estilo de vida urbano adotado pela maioria das pessoas, cujo estresse elevado favorece a manifestação da candidíase, uma vez que o cortisol circula mais intensamente pelo corpo, reduzindo assim suas defesas.

Como reconhecer os sintomas

Nem sempre a candidíase manifesta sintomas. Estima-se que ao menos 20% das mulheres nem percebem que estão com a infecção. Mas, os principais sintomas da candidíase na região genital são:

  • Corrimento branco leitoso, nem sempre com odor;

  • Coceira intensa;

  • Ardência ou dor durante as relações sexuais;

  • Vermelhidão e inchaço;

  • Muco e pequenas fissuras

Nos homens a vermelhidão, irritação e queimação ocorre na cabeça do pênis ou na parte de cima do prepúcio e às vezes pode se estender aos testículos. Também pode surgir:

  • Secreção esbranquiçada;

  • Cheiro desagradável;

  • Desconforto ao manusear o prepúcio;

Como fazer para evitar a candidíase

Para evitar esse tipo de infecção é importante manter sempre a pele seca e limpa e nunca abusar de antibióticos a não ser que sejam prescritos pelo médico, usando-os de acordo com a indicação médica. Também é importante adotar os seguintes hábitos:

  • Controlar o nível de açúcar no sangue;

  • Investir em alimentos saudáveis;

  • Adotar práticas que torne seu cotidiano menos estressante;

  • Caprichar na higiene íntima que inclui cuidados com a prática sexual, roupas e tipo de depilação.

  • Fazer a limpeza por três vezes ao dia.

  • Mulheres obesas, que tenham uma rotina mais estressante, que estejam no pós parto ou no período menstrual, também devem ficar mais atentas.

  • Lavar as partes genitais com água corrente após defecar ou urinar e secar com toalha de algodão.Lembre-se que o papel higiênico afeta a mucosa, caso prefira, pode usar lenço umedecido, mas não em excesso.

  • Fazer exercícios pélvicos para melhorar a irrigação sanguínea oxigenando e melhorando a qualidade das células do local.

  • Usar camisinha sempre, mesmo que a candidíase não seja uma DST, a camisinha protege a área.

  • Evitar manter a região suada por longo período, usando roupas que possibilitem a absorção da umidade.

  • Trocar a roupa de banho molhada, assim que possível;

  • Sentar sempre sobre uma toalha ou canga e nunca diretamente na areia quando estiver na praia.

  • Evitar calcinhas apertadas ou calças jeans por períodos longos.

FABÍOLA CUNHA S DE MORAES



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *