Tosse Seca, Com Catarro e Crônica – Causas e Tratamento





Aprenda como classificar a tosse e o momento adequado para buscar ajuda médica.

O ato de tossir é um recurso que o corpo utiliza para expelir algo que esteja nas vias respiratórias, sendo nesses casos, um mecanismo natural do próprio organismo. É comum o aumento de queixas nos consultórios, sobretudo em períodos mais frios, de pessoas acometidas com tosses constantes. Contudo, a maioria das pessoas, acredita que a tosse é um sintoma simples e passageiro ou apenas um desconforto momentâneo que não requer atenção especializada.

No entanto, é bom compreender que caso a tosse se estenda por um longo período, piorando e afetando a qualidade de vida, é preciso buscar ajuda especializada.




Uma tosse que surge devido a uma infecção simples, pode durar entre uma a três semanas, passando desse período é necessário investigar as causas da tosse.

Os cientistas afirmam que cerca de 8% da população mundial convive com a tosse, principalmente em áreas urbanas onde as pessoas estão expostas a agentes que causam irritação.


Os maus hábitos dos indivíduos também contribuem para essa condição pois diminuem as defesas naturais do organismos.

Mas por que tossimos? Quando devemos buscar ajuda médica? Acompanhe abaixo a resposta desta e de outras questões sobre a tosse .

Quais são as causas da tosse

As causas mais comuns da tosse são as bactérias e os vírus, principalmente durante o inverno. Poluição, rinite, umidade do ar muito baixa, cigarros e outros agentes químicos, também entram na lista.

Classificando as tosses

Ao procurar o médico, a pergunta fundamental que ele fará é sobre o tempo de duração da sua tosse. A partir da resposta ele poderá investigar a origem do problema. De acordo com sua duração, as tosses podem ser classificadas da seguinte maneira:

Tosse aguda de curta duração: É o tipo de tosse que dura até 3 semanas e na maioria das vezes em que surge, tem origem infecciosa. Nos meses mais frios do ano, em cada dez casos de tosse que surgem nos consultórios, sete são por virose, sendo em sua maioria causadas por gripes, asmas e alergias diversas.

Tosse persistente ou de longa duração: São as chamadas tosses subagudas, que persistem cerca de três ou até mesmo oito semanas

Tosses crônicas: São aquelas que duram mais de oito semanas. Essas tosses merecem atenção médica especial. Geralmente essas tosses são sintomas de outras doenças tais como :

  • Asma- Sobretudo quando se trata de crianças, tosses prolongadas podem ser asma que se manifesta com um chiado no peito e muito falta de ar.

  • Pneumonia- principalmente por germes.

  • Sinusite- Apresenta secreção e a tosse piora sempre ao final do dia, quando a secreção é drenada da face para a laringe.

  • Rinite- Tosse seca com pouca secreção e acompanhada por uma incômoda coriza, nariz entupido e espirros constantes.

Outras doenças que causam tosse:

  • Bronquite crônica;

  • Laringite crônica;

  • Refluxo;

  • Doenças pulmonares;

  • Fibrose cística;

  • Tuberculose e até mesmo câncer.

Causa medicamentosa

Uma outra causa de tosse crônica é o uso de medicamentos, sobretudo anti- hipertensivos, ou seja, aqueles usados no combate a pressão alta. Cerca de 5% a 35% de pacientes podem apresentar tosse crônica como sintoma colateral desse tipo de medicamento.

Quais grupos devem ficar atentos a tosse crônica

Todas as pessoas devem observar a duração da tosse, mas há grupos que precisam ter atenção redobrada quanto a persistência desse mal. São eles:

  • Lactentes (até 2 anos)

  • Crianças principalmente as que frequentam creches e escolas.

  • Tabagistas

  • Idosos

  • Indivíduos com síndrome metabólica

  • Pessoas com problemas cardíacos

  • Alérgicos

  • Indivíduos com problemas gástricos.

Quando se deve buscar ajuda médica

Seja adulto ou criança, quando a tosse leva mais de três semanas e começa aparecer outros sintomas associados como febre, perda de peso, falta de ar, sibilância, perda de sangue e vômitos é necessário procurar imediatamente um médico.

FABÍOLA CUNHA S DE MORAES



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *