Vacina contra Stress pode ser produzida em 20 Anos





Vacina pode ser produzida através de uma bactéria que diminui o nível de stress.

Vamos falar a verdade. Nos últimos anos as pessoas estão cada vez mais estressadas, não é mesmo? Todo esse estresse em grande parte se deve ao acelerado rítmo de vidas da maioria das pessoas que junto com outros fatores resultam em muito estresse.

Mas, como a medicina está a cada ano mais avançada, uma excelente notícia acaba de chegar para os estressados e para quem convive com eles também. Estamos falando de uma vacina, a vacina anti-stress. Você deve estar pensando nas suas crises de estresse ou naquela pessoa que vive estressada, finalmente isso deve acabar.




Sim e não. Sim, porque realmente a vacina está sendo trabalhada e não, pelo fato de que deve demorar um tempinho ainda para ela estar disponível.

Brincadeiras à parte. Estamos falando de uma pesquisa nova que está sendo realizada pela comunidade científica. A pesquisa é sobre bactérias e seu andamento aponta que dessa vez estamos muito próximos da vacina contra o estresse.


Segundo especialistas, existe um tipo de bactéria, a espécie Mycobacterium- vaccae, que é encontrada no solo e auxilia na diminuição do nível de estresse.

No ano de 2018, pesquisadores injetaram uma dose dessa bactéria M. vaccae em ratos e em seguida os expôs a uma situação de estresse. Os roedores por meio da vacina foram impedidos de apresentarem sintomas de estresse pós-traumático em curto prazo e também mais tarde do ocorrido.

Assim, por meio deste estudo, foi construída a hipótese de que esse microorganismo tem em sua composição compostos que servem para ajustar uma resposta de fuga ou de luta no sistema de imunidade dos mamíferos.

Dessa forma, com a realização de uma análise nova, a equipe de pesquisadores conseguiu identificar uma estrutura existente no interior desta bactéria que é a responsável pelos tais efeitos.

A equipe também conseguiu sintetizar quimicamente a substância desconstruindo assim a forma como ela interage juntamente com as células que fazem parte do sistema imunológico.

Os pesquisadores já sabiam que funcionava, porém, ainda não sabiam o porquê. Isso foi o que Christopher Lowry, que tem participação na autoria da pesquisa, declarou em um comunicado.

Ainda de acordo com os profissionais que atuaram na pesquisa, o lipídio que é encontrado na bactéria consegue se ligar a receptores que se encontram dentro das células que compoem o sistema imunológico e assim realizam o bloqueio de certas substâncias químicas que são responsáveis por processos de inflamação que são os responsáveis pelo fenômeno do estresse.

Essas células com lipídios foram por eles pré- tratadas e em seguida foi estimulado durante os experimentos uma resposta inflamatória. Dessa forma, foi descoberto que as células acabaram de se tornar resistentes aos efeitos estressantes, o que se deu quando eles foram vacinados efetivamente contra a inflamação.

Ao que parece essas bactérias com as quais os pesquisadores trabalharam possuem um truque. Pode-se dizer que essa descoberta é um grande passo para a identificação de um componente ativo da bactéria, assim como o receptor deste componente que é ativo em seu hospedeiro.

Infelizmente, quem deseja se livrar deste mal que é estresse deverá esperar um bom tempo. É que segundo os seus idealizadores, a vacina estará pronta para ser utilizada em humanos daqui uns 10 ou 20 anos.

Embora esse tempo seja um pouco extenso, quando ela estiver liberada com toda certeza irá ser de grande ajuda para o tratamento de doenças psicológicas e para o estresse.

Na realidade a descoberta desta bactéria na natureza é apenas o início de uma série de estudos e pesquisa sobre outras bactérias que estão na natureza e que podem nos auxiliar em tratamentos de saúde. Como todos já sabem, a medicina não para de evoluir.

Sirlene



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *