Para fugir do forte calor do verão, nada melhor do que um bom mergulho na praia ou piscina e, se possível, passar o dia todo se refrescando nesses locais. Mas é preciso ter muito cuidado ao usar roupas de banho molhadas por muito tempo ou não ingerir líquidos suficientes ao longo do dia, pois esses fatores podem propiciar o surgimento de infecção urinária.

Após a gripe viral, a infecção urinária é a doença que mais afeta os seres humanos, se caracteriza pela presença de bactérias na urina, que pode ser grave, se não for identificada rapidamente e tratada. Seus sintomas são caracterizados pelo aumento da necessidade de urinar, ardência ao urinar, odor na urina e inflamação na região genital.  

Pode-se evitar a infecção urinária com procedimentos simples, como secar biquínis e sungas ao sol e trocar de roupa quando voltar da praia ou piscina. Beber muita água, urinar antes de deitar-se e após a relação sexual.

Por Selma Isis

Fonte: Rogério Vitiver, médico urologista de Brasília-DF


Cistite é o nome que se dá a inflamação da bexiga. O seu sintoma é a vontade de urinar a toda hora, em mínima quantidade e, principalmente, com uma ardência intensa.

O orifício do canal da urina na mulher é bem próximo ao canal vaginal, que naturalmente possui bactérias. Elas vivem num ambiente meio de "camaradagem" com o organismo feminino. Quando se multiplicam demais, as defesas são acionadas e automaticamente diminuem o seu número. Mas essas bactérias, em algumas condições, devido a proximidade, podem subir pelo canal da urina e chegar até a bexiga com certa facilidade, pois este canal, bem pequeno na mulher, mede aproximadamente três centímetros. Não há necessidade de fazer lavagens do canal vaginal para retirar as bactérias. Elas até são necessárias neste ambiente, basta ter alguns cuidados. Um deles é não abafar muito a vagina. Ela precisa transpirar.

Outro aspecto que provoca contaminação, é quando a mulher se seca com papel higiênico após urinar. Pelas condições químicas de alguns papéis e pelo atrito no local é comum haver irritação deste orifício, que é extremamente sensível, determinando maior chance de contaminação da bexiga.

Algumas dicas do Dr Tércio Ribas para evitar a cistite:

  • Ter uma relação sexual bem lubrificada e sem agressividades;
  • Urinar após as relações;
  • Lavar-se, ao invés de se secar com papel higiênico, após urinar;
  • Lavar-se, após as evacuações, evitando o papel higiênico;
  • Beber, no mínimo, dois litros de líquido por dia;
  • Não prender a urina quando der vontade de urinar.

Por Aline Medeiros da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: