Pesquisa revela que pessoas que ficam grisalhas cedo podem ter doenças cardíacas.

Com o passar dos anos é comum que homens e mulheres vão perdendo a cor natural dos cabelos. Essa situação para eles é um pouco mais fácil de lidar do que para as representantes do sexo feminino. Pois, os fios grisalhos são sinônimos de charme para eles. Mas, quando esse fato acontece antes do tempo normal pode ser indício de que alguma coisa errada está acontecendo com a saúde dos homens, é o que sugere um estudo científico realizado no Egito.

O estudo realizado na Universidade de Cairo afirma que a antecipação da chegada dos fios brancos pode ser um sinal de uma possível patologia cardíaca. Pois, os sinais biológicos que anunciam a perda da cor dos cabelos são muito semelhantes aos que indicam as doenças ligadas ao coração, como a aterosclerose, que pode ter resultados sérios como infartos e acidentes cerebrais. A aterosclerose se determina pelo excesso de gordura nas artérias, o que impede o sangue de levar o oxigênio pelo corpo humano, prejudicando assim de forma muito grave o corpo humano.

Nesta pesquisa cerca de 500 homens de idades diferentes e condições de vidas distintas foram avaliados. Eles foram separados em grupos de acordo com o tom capilar de cada um. Um dos resultados iniciais do estudo apontou que os representantes do sexo masculino que possuíam mais fios brancos e que também levavam uma vida mais sedentária, com uma alimentação errada e apresentavam níveis de estresse mais elevados, são os mais propensos a desenvolver a aterosclerose.

A pesquisa ainda não foi finalizada e estudos mais aprofundados em parcerias com outros especialistas precisam ser realizados, para que se possa ser comprovado cientificamente essa ligação. Entretanto, há algum tempo sabe-se que uma baixa qualidade de vida está diretamente ligada ao desenvolvimento de inúmeras doenças. O estresse hoje é fator determinante para que pessoas de qualquer idade e condição social possa desenvolver problemas sérios de saúde. Devido a isso, os órgãos de saúde cada vez mais realizam campanhas para que os seres humanos façam exercícios físicos e tenham uma alimentação balanceada. Pois esses são os princípios básicos para uma vida mais saudável e duradora.

Isabela Castro.


Não é raro obtermos notícias de alimentos que podem fazer muito bem à nossa saúde, evitando um elevado risco de doenças. Pois bem, aqui vai mais uma notícia que vai agradar principalmente aquelas pessoas que gostam de comer uma noz-pecã. Segundo um estudo elaborado pela Universidade de Loma Linda, situada em terras americanas, ela pode reduzir a incidência da pessoa em desenvolver doenças do coração e também o câncer.

O estudo foi feito com um total de 16 pessoas do sexo masculino e feminino. O grupo foi colocado em uma dieta a base de noz-pecã, por vezes sendo misturada em água, ou ainda consumida de forma neutra.

Com o fim dos testes, Ella Haddad, que foi encarregada pelo estudo, observou que ouve um aumento nos níveis do antioxidante gama tocoferol , conhecido pela ajuda que tem na prevenção das doenças citadas acima.

Outro dado que foi apontado pelos estudos, é que quando a pessoa se alimenta e dentro de suas refeições se encontra a noz-pecã, pode acarretar numa redução de até 16,5% do colesterol.





CONTINUE NAVEGANDO: