Confira aqui a tabela de doação de sangue e descubra quem doa sangue para quem.

Ser um doador de sangue é um ato que deve ser aplaudido de pé. O dia 14 de junho é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue e este dia foi pensado para motivar as pessoas a ter esta atitude que pode salvar muitas vidas.

Neste artigo vamos trazer algumas respostas para quem nunca doou e tem vontade de tomar esta ação ou se você é doador, porém, tem muitas dúvidas sobre este assunto.

Uma das dúvidas que a maioria das pessoas tem é sobre para quem pode doar ou se o seu tipo sanguíneo é compatível com qual tipo?

Eu posso doar?

Existem alguns requisitos para doar seu sangue e um desses requisitos é ter idade entre os 18 e 67 anos. Outra exigência é ter mais de 50 quilos.

Se você é jovem e tem 16 ou 17 anos e também quer doar, é permitido, desde que você tenha a autorização dos seus pais ou responsáveis.

Quanto tempo vai demorar a doação?

A coleta de sangue depende muito de doador para doador. No entanto, a média não demora muito e chega a ser até bem rápida chegando em torno de 8 a 12 minutos.

Para doar sangue é feito uma triagem e é coletado algumas informações importantes em relação a condição de saúde do possível doador e um histórico de doenças que vieram a ser contraídas anteriormente.

Quais pessoas não podem doar?

A entrevista é feita devido às exigências do Ministério da Saúde definido por portaria que pessoas com doenças infecciosas e inflamatórias são proibidas de praticar o ato da doação.

A gripe ou aquelas doenças que atacam o intestino, por exemplo, impedem as pessoas de doar. Os impedimentos podem ser temporários ou definitivos.

Pessoa que usou crack ou cocaína por um período inferior à 12 meses tem um impedimento temporário, podendo voltar a doar após este período.

Uma pessoa que contraiu hepatite viral depois dos 11 anos de idade não pode doar e o seu impedimento é definitivo.

Quais tipos são compatíveis?

Uma grande dúvida que a maioria das pessoas possuem é: “Quem doa para quem?”.

Vamos então entender quem doa para quem e descubra se seu tipo é compatível para quem você vai doar. Veja abaixo:

Sangue Tipo A+ doa para A+ e AB+ e recebe de A+, A-, O+ e O-.

Sangue Tipo A- doa para A+, A-, AB+ e AB- e recebe A- e O-.

Sangue Tipo B+ doa para B+ e AB+ e recebe de B+, B-, O+ e O-.

Sangue Tipo B- doa para B+, B-, AB+ e AB- e recebe de B- e O-.

Sangue Tipo AB+ doa para AB+ e recebe de todos os tipos de sangue.

Sangue Tipo AB- doa para AB+ e AB- e recebe de A-,B-, AB- e O-.

Sangue Tipo O+ doa para A+, B+, AB+ e O+ e recebe de O+ e O-.

Sangue Tipo O- doa para todos os tipos de sangue e recebe apenas de O-.

O doador universal é a pessoa que possui o sangue O- e o receptor universal é a pessoa que tem o sangue tipo AB+.

Este artigo foi útil para você? Compartilhe nas redes sociais e marque quem você acha que deve saber um pouco sobre seu tipo de sangue.

Marcio Ferraz


Confira aqui o que é preciso para ser um doador de medula óssea.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil está na lista dos maiores doadores de medula óssea, são mais de três milhões de doadores inscritos. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, que atualmente possui sete milhões de doadores cadastrados.

Para dar continuidade no assunto, vamos entender o que é a medula óssea. Ela é um tecido que fica localizado no interior dos ossos, o formato dela é gelatinoso sendo a partir dela que ocorre a produção de células sanguíneas, portando, é um órgão hematopoiético. Sendo formada por células sanguíneas imaturas e células adiposas. Nesse tecido gelatinoso está o tutano, que é o responsável pela produção de componentes como as plaquetas, os glóbulos vermelhos e brancos.

Com a doação de medula óssea podemos salvar vidas, com no caso da leucemia, que é um tipo de câncer que faz com que o paciente perca o controle dos glóbulos brancos e por consequência as células normais ficam com pouca produção, havendo assim um desequilíbrio. Com essa baixa produção, o paciente fica vulnerável a infecções, anemias e hemorragias, por vezes levando o paciente a óbito. A grande chance de reverter o quadro é quando o paciente recebe a doação de medula óssea , sendo assim, separamos algumas informações caso você queira se tornar um doador e por consequência salvar vidas.

Requisitos para ser Doador de Medula Óssea:

  • Pode ser doador a pessoa entre 18 e 55 anos de idade, que possua boa saúde.
  • O procedimento é simples, por meio de punções, a medula é retirada do interior de ossos da bacia. O período para se recompor equivale em média 15 dias.
  • Outro procedimento que é feito é o preenchimento do formulário com dados pessoais, para isso é coletado 5 ml de sangue do doador, isso é necessário pois os testes iram determinar as características genéticas que mostraram se o doador é compatível. Após os resultados serão armazenados em um computador que irá realizar o cruzamento com os dados dos pacientes que necessitam do transplante.
  • O que parece ser simples se torna difícil pelo fato da chance de encontrar uma medula compatível ser apenas de 1%, de uma média de um a cem mil.
  • O Registro de Doares Voluntários de Medula Óssea é cuidadosamente organizado, para que quando um paciente necessitar de transplante e não for encontrado um parente que possa ser compatível, o cadastro poderá ser consultado.
  • Caso o resultado seja positivo, o doador é convidado a doar.

Para se tornar um doador voluntário de medula óssea é simples, basta comparecer em qualquer hemocentro de seu Estado. Para quem mora no Rio de Janeiro, podem contar com o Hemorio e o INCA, que faz a coleta de sangue e cadastramento de doadores voluntários. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8:00 h às 12:00, não precisa agendamento.

É importante que você doador de medula óssea mantenha sempre seus cadastros atualizados.

A doação é um gesto de solidariedade!

Gisele Alves de Brito


Uma ação solidária do Ministério da Saúde em parceria com o Facebook pode ajudar a melhorar o número de doadores de órgãos no Brasil. É que o órgão do governo decidiu firmar uma parceria com a rede social para uma nova ferramenta online, em que os usuários poderão manifestar o desejo de ajudar pessoas que precisem do transplante. Mesmo assim, a doação deve ser autorizada pela família após a morte.

Alexandre Padilha, ministro da Saúde, informou ainda que a estratégia do governo visa incrementar o uso das redes sociais para conversar com a população brasileira sobre o tema. Atualmente, quase 180 milhões de pessoas em nosso país possuem acesso à internet e cerca de 40 milhões são usuários do Facebook.

O foco da campanha é o público jovem, que está sempre ligado no site. O ministro disse também que a parceria facilita que qualquer pessoa confirme o desejo em vida de ser um doador. Essa seria uma oportunidade de gerar certa polêmica e debater com públicos diversos a necessidade de ajudar alguém depois que morremos.

Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook na América Latina, esclareceu como funciona a nova opção da rede. Para intencionar a doação, basta acessar seu perfil e clicar em "Atualizar Status", depois na opção "Evento Cotidiano" e por fim clicar em "Saúde e Bem-Estar". Na página, aparecerá a opção.

Por Tadeu Goulart


O brasileiro é um povo constituído de misturas de cores e raça, que fazem a beleza desta nação. Porém, essa miscigenação da população acaba gerando uma grande diversidade genética, o que atrapalha e muito a vida de quem necessita de uma doação de medula óssea.

Crianças com doenças genéticas, pacientes com leucemia e aplasia de medula óssea necessitam da doação. Entre seus familiares, a chance de encontrar um doador compatível é de apenas 25%.

Ajude! Qualquer pessoa que tenha entre 18 e 54 anos e esteja em bom estado físico pode ser um doador. Primeiro é realizado uma coleta de sangue, um cadastro onde será analisado a compatibilidade da sua medula com a de pessoas que estejam necessitando do tratamento.

A doação será realizada apenas se houver a compatibilidade. O procedimento é simples e com anestesia.

Salve uma vida hoje mesmo. Acesse www.ameo.org.br e confira os endereços para doação em São Paulo.

Por Thiane Ferrari


Férias e feriado é sinônimo de festa e diversão. Porém a imprudência no trânsito e a ingestão de álcool acabam provocando alguns desastres que para não ter um final triste, precisam da ajuda de toda a população. Para doar sangue e salvar uma vida é necessário possuir de 18 a 65 anos e pesar mais de 55 kg, não ter sífilis, hepatite, doença de Chagas ou HIV e nem comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis.

O doador passa por uma série de exames que verifica seu fator sanguíneo e a aptidão para doar. Para contribuir é simples, basta comparecer com um documento oficial com foto em alguns dos postos de coleta. Saiba qual o mais perto da sua casa, acessando www.bssp.com.br.

Por Thiane Ferrari





CONTINUE NAVEGANDO: