Na quinta-feira (dia 17 de maio), o Ministro da Saúde Alexandre Padilha apresentou os dados de um balanço feito pelo Ministério da Saúde sobre as taxas de morte devido à dengue.

Segundo o portal do Ministério, o Brasil conseguiu reduzir em 84% o número de mortes causadas por essa doença. O Balanço Dengue 2012 ainda apontou outros dados significativos, como a redução de 58% nos casos da doença e ainda uma redução de 91% nos casos graves de dengue.

No balanço que foi divulgado, pode-se verificar ainda que em 2011 (entre janeiro e abril) as duas cidades que mais registraram casos de morte pela doença foram o Rio de Janeiro e Fortaleza. Na comparação do mesmo período em 2012, houve uma redução significativa. No Rio, de 43 mortes registradas, o número caiu para apenas 15. Já em Fortaleza, de 23 mortes registradas, o número caiu para apenas 5.

Os bons índices apresentados são resultado de uma parceria entre Governo e Secretarias Estaduais, que investiram em ações visando ao monitoramento e o combate à dengue. Nesse conjunto de ações interventivas, podemos destacar que a ação de conscientização da população foi de suma importância para o processo de combate ao mosquito Aedes aegypti, onde a população também percebeu que pequenos hábitos e atitudes poderiam ajudar nessa campanha.

Na apresentação do balanço, também foram citadas as 10 principais ações desenvolvidas, que certamente contribuíram para a redução no número de casos da doença. Entre elas, podemos destacar a intensificação das campanhas na mídia, as parcerias com empresas privadas, a capacitação dos profissionais da área da Saúde, o repasse de verba visando aperfeiçoar a qualidade no atendimento e prevenção da doença, entre outras.

Para conferir mais informações, clique aqui.

Por Thiago José Fernandes


Como forma de conscientizar seus usuários para os riscos da Dengue, que em Pernambuco já fez uma vítima fatal, a Santa Clara Planos de Saúde, uma empresa do Sistema Hapvida, promoveu na manhã do dia 25 de março, uma campanha de prevenção.

A ação, que contou com um arte-educador caracterizado do mosquito Aedes Aegypti e distribuição de panfletos com dicas de como se proteger e identificar a doença, foi realizada nas unidades da Santa Clara instaladas no Paissandu – Central de Atendimento, Centro de Fisioterapia, Beira Rio I, Beira Rio II, Hospital Capibaribe e Central de Laboratório.

Coordenada pelo departamento de Marketing da Santa Clara, a campanha tem como estratégia, alertar a população sobre os riscos da Dengue, que vem se alastrando por todo o país, em especial no Nordeste onde, inclusive, já foram detectados casos de pessoas com o vírus 4.

No material educativo, a operadora destacou os principais sintomas da doença, como febre alta e persistente; dor de cabeça; dor atrás dos olhos; perda do apetite; vômitos e tonturas; dores musculares e nas juntas; além de moleza e manchas vermelhas pelo corpo.

O panfleto apresentou, ainda, as estratégias que as pessoas devem adotar no dia a dia para evitar a multiplicação do mosquito Aedes Aegypti, tais como:

–  Encher de areia, até a borda, os vasos de plantas;

–  Lavar, semanalmente, com escova e sabão, as áreas internas dos tanques utilizados para armazenar água;

–  Jogar fora objetos sem uso (latas, pneus etc.) que possam acumular água;

–  Manter a caixa d´água sempre fechada, com tampa adequada; e

–  Guardar garrafas sempre de cabeça para baixo.

Com essas dicas simples, a direção da Santa Clara pretende contribuir para o combate da proliferação da Dengue em Pernambuco. Vale destacar que as ações de medicina preventiva da operadora continuam ao longo do ano. Temas como hipertensão, diabetes, saúde bucal, entre outros males que persistem no Brasil de 2011, devem ser trabalhados.

Por Alexandre de Souza Acioli


Volta e meia, pacientes afetados pela dengue costumam aparecer nos noticiários. Trata-se de uma doença perigosa, e que precisa ser identificada com urgência, para que o tratamento seja eficaz. Atualmente os exames que identificam a doença são: o teste do laço e exames de sorologia para dengue IgG e IgM.

O mais antigo deles é o teste do laço, em que os médicos medem a pressão arterial dos pacientes com o tensiômetro, comum nos consultórios. O paciente fica cinco minutos com o braço sendo pressionado pelo aparelho. Se ele estiver com dengue hemorrágica, surgem pequenos pontos de sangramento na pele.

Os exames de sorologia só podem ser realizados a partir do sexto dia da manifestação dos sintomas da dengue. Os testes são feitos são feitos a partir de uma amostra de sangue do paciente.

Segundo recomendação de especialistas, avaliar o estado de saúde do paciente assim que consultar o médico é essencial, pois a doença em sua fase inicial costuma se confundir com outras doenças.

Por Selma Isis

Fonte: Isabela Baraúna- infectologista.


Você que costuma ter muito cuidado com a sua limpeza pessoal e de sua residência, fique sabendo que a sua caixa d’água também precisa ser limpa regularmente, para evitar a concentração de sujeira e a proliferação de bactérias e insetos, dentre eles o mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

Mesmo que a água seja tratada pela rede de abastecimento, o seu processo de purificação não produz efeitos se a caixa d’água não passar por manutenção constante. O ideal é que ela fique sempre fechada e que passe por limpeza duas vezes por ano, principalmente em casas no litoral ou que fiquem fechadas por muito tempo. Se a água tratada ficar parada por mais de 90 dias, o cloro perde o seu efeito.

A ingestão de água contaminada pode provocar uma série de doenças, como cólera, hepatite A, giardíase e gastroenterites. Por isso, procure uma empresa especializada em limpeza de caixas d’água com licença de funcionamento, para proteger a sua saúde e de sua família.

Por Selma Isis 

Fonte: Juarez Martins, supervisor operacional da Biotrat.





CONTINUE NAVEGANDO: