O feriado de Carnaval se aproxima e milhares de pessoas se preparam para aproveitar a festa. Como se trata de um feriado muito longo, muitas pessoas preferem viajar em locais festivos em um clima de muita descontração. Para os solteiros, trata-se de uma oportunidade de conhecer novas pessoas e pode ocorrer algo mais no final da festa.

No caso das mulheres que fazem uso de pílula anticoncepcional, seguem algumas orientações de especialistas para pular o Carnaval com responsabilidade:

Existe aquele mito de que se a mulher faz uso da pílula anticoncepcional não é necessário o uso da camisinha. Isso é pura mentira. Somente a camisinha protege contra doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), enquanto que a pílula só evita a gravidez. Se você for fazer sexo sem compromisso, a camisinha é indispensável.

Para a mulher que faz uso da pílula e que for viajar e verificar que sua cartela irá terminar bem no feriado, se ela quiser se livrar dos incômodos da menstruação iniciando uma nova cartela logo após o final da anterior, sem dar o intervalo. Ela deverá completar essa nova cartela normalmente até o seu final, então deve ser feita a pausa e ela irá menstruar normalmente. Mas essa medida deve ser tomada em casos esporádicos, mas sempre consulte seu médico antes, para ver se é adequada ao seu caso.

Por Selma Isis


Atualmente a diversidade de produtos contraceptivos existentes no mercado é muito grande. Eles são desenvolvidos para atender aos diferentes tipos de organismo, cada mulher se adapta melhor a um tipo de método ou remédio.

A gravidez indesejada, como o próprio nome já diz deve e pode ser evitada de forma segura e eficaz, desde que o procedimento escolhido seja seguido da forma correta.

Os anticoncepcionais injetáveis, tem sido os mais procurados pelas mulheres. Com a receita médica em mãos, a mulher pode tomar a injeção mensalmente em qualquer farmácia. Esse método é muito seguro e evita “o problema do esquecimento” ocorrido com os comprimidos.

A injeção é intramuscular, a primeira aplicação deve ocorrer do primeiro ao quinto dia do ciclo menstrual e a seguinte será aplicada 30 dias após a mesma.

Os efeitos colaterais costumam ser mínimos ou nenhum, mas antes de qualquer coisa procure um médico (ginecologista) e avalie as suas condições, ele irá indicar o método mais indicado para você.

Por Milena Evelyn





CONTINUE NAVEGANDO: